quarta-feira, 21 de junho de 2017

Opinião :: Noites Escaldantes | Sylvia Day

Título: Noites Escaldantes
Autora: Sylvia Day
Editora: Chá das Cinco (Saída de Emergência)
Ano: 2014

Sinopse:
Connor é um guardião dos sonhos e está presente em todas as fantasias eróticas de mulheres. Ao vaguear no mundo etéreo, oferece às mulheres prazeres inimagináveis. Mas ele sabe que um terrível perigo ameaça destruir o seu mundo, bem como o mundo dos mortais, e assim é forçado a viajar à terra… e cair nos braços da sedutora Stacey Daniels.
Stacey sempre se sentiu atraída pelo tipo errado de homens e o homem musculado e de aparência viking que lhe surge à porta não é exceção. Mal consegue acreditar que o guerreiro ferido vem de outro mundo, um mundo onde sonhos eróticos são necessários para sobreviver, um mundo cheio de perigos que ele trouxe para a sua casa. Connor descobre conforto na paixão entre ambos e sente Stacey a render-se às suas promessas, mas apenas o tempo poderá dizer se isso será suficiente para derrotar o inimigo que o persegue…


Opinião:
Tenho de admitir que este livro me desiludiu. Atirei-me a esta leitura com demasiadas expectativas e não o deveria ter feito. O início da história não me cativou o suficiente para manter uma leitura regular, o que me fez deixar o livro de lado e ir lendo um dia ou outro, se me apetecesse. Acho que não estava à espera de tanta fantasia/distopia e isso foi o que menos me despertou interesse. Todavia, comecei a estar mais interessada na história nos últimos capítulos, altura em que ela ganhou mais acção e suspense. O final mostrou-se um pouco previsível e cliché, mas até gostei.
Tratando-se de um romance erótico, existem muitas cenas de sexo. E não, não são cenas leves... São bastante explícitas e descritas numa linguagem forte, recorrendo muitas vezes ao calão. De certa forma, é o que se espera nestes casos, não é?
Posso dizer que apreciei o romance que existe na história, mas esta não me marcou. Se eu fosse amante de distopias, acredito que tivesse gostado mais. Portanto, recomendo este livro a quem gostar de histórias fantásticas misturadas com um romance picante!

domingo, 18 de junho de 2017

Quando o Inferno desceu à Terra...

Incêndio em Pedrógão Grande
Chocante. Inacreditável. Inimaginável. Abomino os incêndios, mas este deixou-me particularmente transtornada. Que horror, que inferno... Tantas vítimas... O meu pensamento está em vocês e em todos os bombeiros e voluntários envolvidos, quer neste, quer em todos os incêndios que actualmente deflagram.

sábado, 17 de junho de 2017

Livro recebido :: "Voo Fantasma"

Boa tarde! Hoje tenho para partilhar convosco este novo livro: Voo Fantasma, de Bear Grylls. Além de escritor, Grylls é um famoso apresentador e aventureiro, conhecido principalmente pelo seu programa de televisão Man vs Wild. Penso que vou encontrar muita acção e mistério neste thriller inspirado em factos reais.

Título: Voo Fantasma
Autor: Bear Grylls
Editora: Marcador
Ano: 2017

Sinopse:
Uma mãe e um filho raptados de forma selvagem numa montanha cercada pela neve.
Um soldado leal, torturado e executado num lugar remoto da Escócia.
Um avião perdido, finalmente descoberto no coração da selva amazónica, que esconde um segredo perigoso que poderá libertar o mal na Terra.
Uma corrida desesperada para vencer uma conspiração assustadora nascida nos dias mais negros da Alemanha nazi.
E há algo que une tudo isto. Só um homem pode desvendar o segredo. Will Jaeger. O Caçador.

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Review :: Jais | Jason Kasper

Title: Jais (David Rivers Series #1)
Author: Jason Kasper
Publisher: Jason Kasper
Year: 2016
Synopsis:
Welcome to the war.
David Rivers returns from combat to find the silence of peace deafening. Escaping into the thrill of BASE jumping keeps a darkness growing within him at bay, until a discharge from military service pushes him over the edge.
After brutally settling his final score, David is confronted by three men who emerge from the shadows, having watched unseen as he committed ruthless, cold-blooded murder.
Now, they want him to do it again.
David undertakes the single most dangerous assignment of his life, earning admission into the dark underworld of ex-special operators for hire and plunging headlong into a new war, where victory is defined by profit and the rules are set by the highest bidder.

But as the stakes - and the payoff - continue to rise, his pursuit of the impossible is turning into a battle for survival, and David must confront the growing realization that his greatest enemy may not be within after all. 
Jais, the debut novel by Jason Kasper, is the first book in the David Rivers Series.

Review/opinion:
I won this book on Goodreads and, in return, I must write a honest review of it.
First, I must say that this is not my favorite book genre at all. Perhaps, that's why I didn't like it as much as I wanted, because I always make an effort to enjoy every book I read.
This is a book about war. So, most of the excerpts are violent, heavy and sometimes the descriptions are quite explicit. While reading these parts, I felt a bit uncomfortable and now and then I didn't pay much attention on it.
Besides that, I found other things much more interesting about the story related to the main character, David Rivers, such as his problems and struggles in life. He writes about them and through it we can see how psychologically damaged he is. Thus, the depression and suicide issues are very present here.
Sometimes, romantic excerpts appear and, for me, as a romance fan, those are the best parts, although they are few and not as developed as I'd enjoyed. Anyway, this is not a romance book!
Final thoughts: my personal taste didn't allow me to enjoy very much the story but I didn't totally disliked: it was OK. I think it is a good book for thriller lovers because of its adrenaline.
The author's way of writing is appropriate for this type of story, which is a good aspect.
Once more, I must thank the author for the opportunity to read this book and I wish all the best for his career!

domingo, 11 de junho de 2017

Manias de leitora #2

Páginas vincadas... Nada como um simples marcador para as evitar!
Páginas vincadas, capas marcadas, folhas soltas... Quem mais não suporta ver isso?
Eu detesto! 😒
Adoro os meus livros e estimo-os o melhor que posso! Não sou propriamente maníaca, mas gosto de ver os livros em bom estado. Assim, quando alguém me empresta algum, tenho todo o cuidado em devolvê-lo como estava; da mesma maneira, quando empresto um dos meus, espero que seja bem tratado!

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Opinião :: Flashback - Memórias Esquecidas | Orquídea Polónia

Título: Flashback - Memórias Esquecidas
Autora: Orquídea Polónia
Editora: Chiado Editora
Ano: 2016

Sinopse:
“O ar estava carregado, os meus sentidos alertavam-me que algo de negativo se passava lá. As paredes altas de cimento davam-me a sensação de estar presa. O chão de madeira a chiar debaixo de mim provocava-me arrepios.”
Após um misterioso acidente, Anabela acorda sem qualquer memória daquilo que teria sido a sua vida. Assim, vê-se envolvida num mar de incerteza e solidão, sem qualquer vestígio da pessoa que fora um dia. As suas novas amizades permitem-lhe ir descortinando o seu passado, encontrando toda uma vida prévia ao acidente: uma família, uma casa luxuosa e um marido. No entanto, aquilo que ela descobre também a coloca em perigo e as suas memórias tornam-se alarmes sonantes de um passado imperfeito. Deverá Anabela confiar na vida que tivera um dia e nas pessoas que lhe eram próximas? Ou deverá construir um novo caminho segundo o que lhe dita o coração?

Opinião:
Tenho de admitir que a sinopse deste livro é muito convidativa e encheu-me de curiosidade para descobrir todo o mistério neste período da vida de Anabela. De facto, é possível que muitos de nós já tenhamos questionado como seria a nossa vida se sofrêssemos algum acidente e nos esquecêssemos de tudo aquilo que fomos, fizemos e conhecemos. O que faríamos? É focando nesta questão que a autora nos dá a conhecer (a nós, leitores, e às próprias personagens) a vida de Anabela.
O tema da história é muito interessante, no entanto penso que poderia ter sido muito mais desenvolvido. A acção desenrola-se demasiado rápido e, por vezes, de forma muito previsível. Cheguei até a comparar este enredo com a série Inspector Max, em que o crime, a investigação e a resolução do caso acontecem em meia hora e acaba tudo em bem. Mas, atenção, não é por isso que deixamos de ver, pois não? :)
Apesar dos aspectos negativos, gostei da história: teve suspense, romance e acção e abordou vários assuntos que se ouvem falar no quotidiano. As ideias foram boas; só faltou mesmo desenvolvê-las!
Este livro é pequeno (não chega às 150 páginas) e eu li-o numa manhã e numa tarde de Domingo. Acho, por isso, uma boa leitura de fim-de-semana: leve, fluída e nada maçadora.

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Colecção "Ler Faz Bem" da Revista Visão #6

Viva! Já tenho o sexto exemplar da colecção Ler Faz Bem: este mês é o livro O Alienista, do escritor brasileiro Machado de Assis. E num instante já vamos a meio da colecção!
Quem também já o tem?

Título: O Alienista
Autor: Machado de Assis
Editora: Cardume Editores
Ano: 2017

Sinopse:
Quem é louco? Esta é a questão que Machado de Assis se coloca neste conto, publicado entre 1881 e 1882 na revista carioca A Estação e logo de seguida no volume Papéis Avulsos. O Alienista conta a história do eminente doutor Simão Bacamarte, médico e dedicado estudioso da mente humana, que decide construir a Casa Verde, um hospício para tratar os doentes mentais na pequena cidade de Itaguaí. Nesta narrativa, Machado de Assis mostra-nos que tudo é relativo e a normalidade nem sempre é aquilo que a ciência e os factos atestam de forma absoluta.

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Livro recebido :: "Se Eu Fosse Tua"

Bom dia! Quero partilhar o mais recente livro que se juntou à colecção: Se Eu Fosse Tua, de Meredith Russo. A sinopse deixou-me muito curiosa e verifiquei também que este romance foi inspirado em parte da vida da autora. Estou muito expectante!
O que me têm a dizer sobre o livro? Já leram?

Título: Se Eu Fosse Tua
Autora: Meredith Russo
Editora: Nuvem de Tinta
Ano: 2017
Sinopse:
Mudar de escola no último ano e ser a miúda nova do liceu nunca é fácil para ninguém. Amanda Hardy não é excepção: se quiser fazer amigos e sentir-se aceite, terá de baixar as defesas e deixar que os outros se aproximem. Mas como, quando guarda um segredo tão grande? Quando tenta a todo o custo esconder o seu passado e começar uma vida nova?
Para piorar as coisas, apaixona-se perdidamente pelo rapaz mais popular do liceu e tudo o que mais quer é contar-lhe a verdade. Será que ele é tão especial quanto parece? Poderá confiar nele?
Uma história inspiradora e comovente que nos enche o coração e nos ensina que o amor mais verdadeiro e profundo nasce da coragem de sermos nós mesmos.

terça-feira, 30 de maio de 2017

Review :: Logos | John Neeleman

Title: Logos: a novel of Christianity's origin
Author: John Neeleman
Publisher: Homebound Publications
Year: 2015

Synopsis:
Logos is a bildungsroman about the anonymous author of the original Gospel, set amid the kaleidoscopic mingling of ancient cultures.
In A.D. 66, Jacob is one of Jerusalem's privileged Greco-Roman Jews. When Roman soldiers murder his parents and his beloved sister disappears in a pogrom led by the Roman procurator, he joins Israel's rebellion against Rome. The rebellion he helps to foment leads to more tragedy - personal and, ultimately, cosmic: Jacob's wife and son perish in Rome's siege of Jerusalem, and the Romans destroy Jerusalem and the Temple, and finally extinguish Israel at Masada. Jacob wanders, and in Rome, he joins other dissidents - plotting vengeance not by arms, but by the power of an idea.
Paul of Tarsus, Josephus, the keepers of the Dead Sea Scrolls, and the historical Jesus himself each play a role in Jacob's tumultuous fortunes, but the women who have loved him compel the transforming and subversive climax.

Review:
Just out of curiosity, I started reading this book the day before Easter and I was quite curious about its content: not only due to the paschal feasts in which I was envolved (and the similar ones I found on the book), but also because I had never read a religious book, not even a fictional one, before.
In Logos, we find the story of Jacob, a Jew who struggles with a lot of personal problems and, at the same time, joins the Israel's rebellion that wants to save the city of Jerusalem and the Holy Temple from the Romans. However, it all ends destroyed and he finds himself lost. Along the reading, we discover his unexpected destiny.
This book is not an easy book: the writing is heavy, mostly when we read the descriptions of the wars, the worship rituals and sacrifices and sometimes the sexual episodes. The first part of the book was the hardest for me: now and then I lost my attention on it. Nevertheless, there are also many descriptions of the places where Jacob was: all of them reminded me of those movies that we see on TV on Easter day. Also, the story has its own romantic vein, which was very agreeable.
The end of the book was unexpected for me and I liked the origin of this new religion: Christianity. In the end, I understood the relation between the whole Jacob's life and the story told on his writings, The Gospel. This gave me a better idea of this book.
I must say it was a really tough reading, but I enjoyed very much.

sábado, 27 de maio de 2017

Livro recebido :: "Rufina"

Viva! Hoje mostro-vos um livro que recebi há pouco tempo: Rufina, de Miguel Soares de Albergaria. Ganhei o livro num passatempo online que me permitiu ter conhecimento da sua editora, Companhia das Ilhas, que publica e divulga trabalhos de escritores açorianos.
Ao folhear o livro, constatei que a história é ficcional mas baseada em factos reais e decorre no início do século XX. Penso que vou gostar da leitura!

Título: Rufina
Autor: Miguel Soares de Albergaria
Editora: Companhia das Ilhas
Ano: 2016

Sinopse:
Maria Rufina embarcou para os Açores em 1880, para aí viver com duas tias, depois de, ao ter ficado órfã, ter sido internada no hospício de alienados de Recife-Olinda. Em Ponta Delgada casou-se, nasceu-lhe um filho, para, cinco anos depois, na bancarrota de Portugal, o marido falir e suicidar-se. Duas alternativas restaram a Rufina. Ao decidir entre elas, escolheu a pessoa que seria, abriu um futuro ao filho, como ainda estabeleceu o sentido por que este a interrogou para se orientar na crise política do país no início do séc. XX.
Uma história inspirada em pessoas e factos reais.

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Opinião :: Não Digas Nada | Mary Kubica

Título: Não Digas Nada
Autora: Mary Kubica
Editora: Topseller
Ano: 2014

Sinopse:
Tenho andado a segui-la nos últimos dias. Sei onde faz as compras de supermercado, a que lavandaria vai, onde trabalha. Nunca falei com ela. Não lhe reconheceria o tom de voz. Não sei a cor dos olhos dela ou como eles ficam quando está assustada. Mas vou saber.
Filha de um juiz de sucesso e de uma figura do jet set reprimida, Mia Dennett sempre lutou contra a vida privilegiada dos pais, e tem um trabalho simples como professora de artes visuais numa escola secundária.

Certa noite, Mia decide, inadvertidamente, sair com um estranho que acabou de conhecer num bar. À primeira vista, Colin Thatcher parece ser um homem modesto e inofensivo. Mas acompanhá-lo acabará por se tornar o pior erro da vida de Mia.
Tudo se transforma em pesadelo quando Colin rapta Mia e esta descobre que está a ser vítima de uma trama de extorsão contra a sua família. Mas o plano inicial toma um rumo inesperado e Colin acaba por se ver obrigado a manter Mia reclusa numa cabana isolada do Minnesota, escondendo-a, e a si próprio, da polícia e dos criminosos que o contrataram.

Opinião:
Não sei ao certo o que dizer sobre o livro... Adorei-o mas ao mesmo tempo senti que faltou qualquer coisa, talvez algo que me tivesse impressionado mais.
Ao longo do livro, vamos conhecendo o antes e o depois do desaparecimento de Mia, que foram contados na primeira pessoa, alternadamente entre Eve (a mãe de Mia), Colin (o seu raptor), e Gabe (o inspector do caso). Achei interessante este modo de contar a história, pois vamos juntando as peças e desvendando todos os acontecimentos, o que tornou o livro mais viciante. Como temos três oradores, conseguimos perceber também as diferenças de personalidades, bem como as posições deles em relação ao caso e à própria Mia.
O enredo tomou rumos pelos quais eu não estava nada à espera, e isso foi muito bom! A história está muito bem construída e aborda assuntos sérios que por vezes ouvimos falar no quotidiano, como por exemplo a síndrome de Estocolmo que às vezes as vítimas de alguma espécie de crime desenvolvem.
Gostei muito da escrita da autora, cujas descrições eram inesperadas e cativantes. Senti que estava a ouvir os desabafos das personagens, vindos do fundo do coração, tão diferentes e convictos que fiquei de certa forma indecisa em relação à minha própria opinião acerca deste caso particular.
O final divergiu muito do que eu imaginava e foi, assim, igualmente inesperado. Penso que não foi um final pomposo, que me tivesse satisfeito. Fiquei com a sensação de que o livro estava incompleto, que a história devia continuar. Talvez fosse esse aspecto que menos me agradou no livro. Apesar disso, adorei-o! Li-o relativamente rápido (numa tarde li metade) e, como já referi, é um livro viciante. Uma excelente leitura para quem gosta de thrillers e de mistérios.

domingo, 21 de maio de 2017

Received book :: "Sense & Sensibility"

Hello! Recently I received a new book: Sense and Sensibility, by Jane Austen. I won this book in a giveaway ran on Maggie's Books' blog.
This is a classic from the early 19th century which depicts the English society in a comic way.
Have you already read this book?

Title: Sense and Sensibility
Author: Jane Austen
Publisher: Dover Publications
Year: 1996 (first published in 1811)

Synopsis:
Within the insular world of the English countryside, among struggling clerical families, husband-hunting mothers and daughters, country fools and snobs, Jane Austen found the raw material she needed to write brilliant novels widely admired for their satiric wit, subtlety and perfection of style. Sense and Sensibility is one of the best of these. It is the story of two sisters, Elinor and Marianne Dashwood, who represent sense and sensibility, respectively. When both appear to be deserted by the young men they had intended to marry, the stage is set for a delicious comedy of manners that not only showcases Austen's perception humor and incomparable prose, but offers a splendid glimpse of upper and middle-class English society of the early 19th century.

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Livro recebido :: "Nunca me Esqueças"

Olá! A última semana foi marcada pela Eurovisão e, por isso, andei mais afastada dos livros, mas tenho já várias opiniões escritas que hei-de publicar em breve.
E hoje venho mostrar o livro que recebi no meu aniversario: Nunca me Esqueças, de Lesley Pearse. É mais um para a colecção que tenho da autora!
Quem já o leu?

Título: Nunca me Esqueças
Autora: Lesley Pearse
Editora: Edições ASA
Ano: 2017 (15.ª edição)

Sinopse:
Naquele que seria o dia mais decisivo da sua vida, Mary - filha de humildes pescadores da Cornualha - traçou o seu destino ao roubar um chapéu. O seu castigo: a forca.
A sua única alternativa: recomeçar a vida no outro lado do mundo.
Dividida entre o sonho de começar de novo e o terror de não sobreviver a tão dura viagem, Mary ruma à Austrália, à época uma colónia de condenados. O novo continente revela-se um enorme desafio onde tudo é desconhecido… como desconhecida é a assombrosa sensação de encontrar o grande amor da sua vida. Apaixonada, Mary vai bater-se pelos seus sonhos sem reservas ou hesitações. E a sua luta ficará para sempre inscrita na História.
Inspirada por uma excepcional história verídica, Lesley Pearse - a rainha do romance inglês - apresenta-nos Mary Broad e, com ela, faz-nos embarcar numa montanha-russa de emoções únicas e inesquecíveis.

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Música :: Salvador, o nosso salvador

Salvador Sobral, vencedor do Eurovision Song Contest 2017 (imagem retirada da Internet)
Já muitos textos e artigos foram escritos sobre a vitória de Portugal no Festival Eurovisão, mas eu não podia deixar passar o acontecimento sem escrever... sem desabafar!
Portugal ganhou mesmo a Eurovisão. Ainda não acredito bem nisto. Foi um sonho tornado realidade! Esperei por este momento durante anos e nunca pensei que fosse acontecer em tão pouco tempo, muito menos no meu aniversário. O meu coração ia sofrendo um ataque aquando das votações, pois logo no início recebemos doze pontos e imediatamente previ a vitória. Não deveria ter sofrido tanto por antecipação, mas foi a percepção de que aquilo ia correr-nos bem que me deixou assim. Os pontos foram chegando, nunca arredámos pé do primeiro lugar e no meu coração não cabia a felicidade e o orgulho de ouvir tantos "twelve points go to Portugal!"! O momento foi mágico, inacreditável e emocionante, principalmente quando chegou a vez de Israel votar e o porta-voz despedir-se da Eurovisão, justificando a saída do país do certame e dando-nos "doze pontos" em português. Foi lindo!
A soma dos votos do júri e do público resultou numa pontuação recorde para um vencedor eurovisivo. Tivemos 758 pontos. Inimaginável!
O Salvador recebeu o tão desejado troféu e fez um discurso polémico mas que me fez aplaudi-lo de pé. A Eurovisão não é um concurso onde apenas as músicas festivaleiras, poderosas e cheias de efeitos têm direito a vencer. Durante anos, principalmente na primeira década de 2000, as músicas foram marcadas pelas roupas exuberantes, pelas danças e representações, por vozes fortes que mostravam o poder vocal dos intérpretes. As canções pop cada vez mais foram sendo em inglês e quem fugisse à regra era prejudicado. E aqui falo de Portugal: já levámos muito boas músicas, que não ganharam por razões que nunca hei-de saber ou perceber, mas também outras mais fracas, principalmente nos últimos anos. Quase sempre passámos despercebidos no meio dos "tubarões", dos que ganham tudo, dos que se ajudam mutuamente e nunca nos esmerámos em levar uma música realmente boa. Contudo, nunca deixámos de cantar em português e, acreditem, que não era por isso que não ganhávamos.
Precisávamos deste interregno. Melhorámos o nosso Festival da Canção e até aceitámos músicas em inglês. Houve vários estilos, várias vozes e muita polémica. O Salvador ganhou o FC e muitos pensaram que ia correr mal. Mas desde o início que ele teve destaque. Pela primeira vez Portugal foi destacado em toda a Europa pela sua canção e pelo poder dela. E o seu poder não estava nas notas agudas, nos gritos estridentes, na batida pop nem na letra que fica no ouvido. O poder estava na melodia, na voz do Salvador que se exprimiu corporal e musicalmente bem. Cantou em português e a mensagem chegou a todos! Ganhou uma canção calma e cheia de significado que foi uma lufada de ar fresco para a Eurovisão. Ganhou a diversidade!
Não quer isto dizer que as músicas festivaleiras vão acabar. Não vão nem devem! Mas quer dizer que se deve valorizar a diversidade de estilos, de melodias, de idiomas e aceitar as diferenças. Este pode ter sido o ano de mudança. Que bom que foi Portugal a dar o primeiro passo!
Os irmãos Sobral actuaram juntos no final. No meio de um público em silêncio, emocionado e atento, eles repetiram o momento ternurento da final do FC. Foi maravilhoso, que felicidade!


Além desde título, os irmãos ganharam também outros dois prémios: a Luísa o de melhor compositor e o Salvador de melhor intérprete. Eles estão mais do que de parabéns!
Finalmente conseguimos uma vitória e podemos deixar de dizer que o nosso melhor lugar foi o sexto de Lúcia Moniz. Admito que vai deixar saudades, mas o meu coração não tem cor e pode amar pelos dois! 😉
Assim terminou esta edição do Eurovision Song Contest. Nunca me hei-de esquecer deste dia, deste ano. Parabéns, Portugal!
And, next year, see you in Lisbon!

sábado, 13 de maio de 2017

13 de Maio - Um dia especial que vai marcar a História

Imagem retirada da Internet
 Hoje é dia 13 de Maio. Sabem o que significa? Pois é, é o dia do meu aniversário! E, por acaso, já recebi um livro, mas depois mostro-vos noutro post. Para mim, é um dia especial também por causa do meu aniversário, mas hoje, exceptionalmente, vai ficar marcado na História do mundo católico, pois comemora-se o 100.º aniversário da primeira aparição de Nossa Senhora aos pastorinhos e, também, a canonização de Jacinta e Francisco Marto, cujas celebrações decorrem na presença do Papa Francisco em Fátima. As atenções estão todas em Portugal e é um momento único, emocionate e de muito orgulho para todos nós.

Salvador Sobral (imagem retirada da Internet)

Além disso, hoje é a Grande Final do Festival Eurovisão e, mais uma vez, tenho de dizer o quão ansiosa estou por assistir a esta final! O Salvador Sobral subiu ontem para primeiro lugar nas apostas online e a vitória de Portugal está cada vez mais longe de ser apenas um sonho. Quero, quero tanto ver Portugal a ganhar a Eurovisão hoje! Força, Salvador!

Festejos no Marquês de Pombal (imagem retirada da Internet)
Como não há duas sem três, hoje também pode ser um dia de glória para o Benfica. Apesar de eu ser portista, não sou adepta ferrenha e hoje até gostava de ver o Benfica a sagrar-se campeão pela quarta vez consecutiva, apenas por ser no dia que é e por ser mais uma razão para celebrar.

Portanto, hoje é um dia cheio para mim, para Portugal e para muitas outras pessoas. Espero que seja um dia memorável pelas melhores razões!

sexta-feira, 12 de maio de 2017

Música :: 2.ª Semi-final do Eurovision Song Contest 2017

Ontem ficámos a conhecer as restantes músicas a concurso no Festival Eurovisão. Contudo, tenho de admitir que esta foi uma semi-final mais fraca do que a primeira e que as melhores canções, na minha opinião, apareceram no fim.
Desta vez não adorei nenhuma música, mas a minha preferida foi, sem dúvida, a da Bielorrússia. Apesar do título ser em inglês, a dupla cantou na língua materna e a alegria da canção foi uma lufada de ar fresco. Ainda bem que passou à final!


Também a Hungria levou uma música cantada na sua língua. Mesmo não sendo uma das minhas favoritas, gostei da sonoridade cigana e da sua originalidade. Acabou por fazer parte do meu top 10 e fiquei contente por também ter passado.


Gostei da música de Israel (o cantor lembrou-me tanto o Måns Zelmerlöw!), da Estónia, da Áustria, da Noruega e da Bulgária. Tenho ouvido dizer que a Bulgária está cada vez mais forte e favorita à vitória, mas sinceramente não adorei a música. Gostei mais dos efeitos e do cenário da actuação e acho que isso é que cativa mais o público. Aliás, desde que o Måns ganhou em 2015 com aqueles efeitos todos que parece que muitos o quiseram copiar. Em alguns casos não resulta bem, mas na música búlgara resultou.
Quanto às restantes, houve uma e outra que também gostei, mas não me cativaram muito.
Ao conhecer os finalistas, fiquei admirada por a Roménia ter passado. A música até nem era má de todo, mas o yodel it da miúda era irritante e não ficava bem! Também não contava com a Croácia na final. A música também não era das piores, mas ficaria melhor se não fosse cantada a duas vozes. No entanto tenho de elogiar o poder vocal do intérprete! Fiquei com pena pela Estónia não passar, pois achei uma música diferente e agradável de ouvir.
E assim já temos a Grand Final completa! Já foi divulgada a ordem das actuações e Portugal vai actuar em 11.° lugar. Podia ter sido em 9.°... Só espero que tudo corra bem (vai correr!) e que consigamos alcançar o nosso melhor resultado e, quem sabe, a vitória! O vídeo do Salvador na semi-final já ultrapassou a fasquia de um milhão de visualizações em dois dias e cada vez mais se tecem elogios à canção, à voz dele, ao carisma e à simpatia que ele tem. Nunca antes fomos tão acarinhados, por isso eu continuo a acreditar que amanhã se vai fazer história!

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Música :: 1.ª Semi-final do Eurovision Song Contest 2017

Não me lembro de ansiar tanto pelo início do Festival Eurovisão como desta vez! O Salvador Sobral foi sendo visto cada vez mais como um possível vencedor e isso criou em mim e em todos os portugueses uma grande expectativa. Além disso, estava ansiosa por conhecer as outras canções, já que eu gosto de as ouvir pela primeira vez apenas nas apresentações ao vivo.
Não vou comentar cada actuação, pois isso levaria muito tempo; vou somente partilhar as minhas preferências e comentar os finalistas no geral.
Ontem, a aplicação Eurovision disponibilizou uma nova funcionalidade que permite ao público votar aquando de cada actuação, de 1 a 12, sendo que cada pontuação equivale a uma cor. No fim da actuação e com os valores somados, a cidade de Kiev é iluminada com a cor correspondente, mostrando o apoio dos fãs eurovisivos e dando também uma ideia da pontuação para aquela música. Achei uma ideia muito boa e utilizei a aplicação para fazer o meu top 10, apesar de na altura ainda não ter percebido bem como funcionava a questão das luzes e acabei por não as ver (podemos ver por webcam na app). Adorava ter visto quando actuou o Salvador!...
Passemos então às músicas. Até não fiquei desiludida com as canções escolhidas: pensava que iria ser tudo muito semelhante e isso acabou por não acontecer. Houve variedade, apesar de serem todas em inglês e de algumas serem mais do mesmo... Mas pronto...
Assim, as músicas que adorei foram a de Portugal, da Finlândia e do Azerbaijão, nesta mesma ordem. Não pude mesmo deixar de mencionar a nossa música, pois gosto ainda mais dela cada vez que a volto a ouvir. E ontem o Salvador foi brilhante! No centro da arena, rodeado pelos espectadores, no meio de um mar de pequenas luzes e com um fundo mágico, ele mostrou que a simplicidade também é uma característica eurovisiva e os tiques dele que tanta gente comentou e gozou (até eu!) dão, afinal, um toque muito mais bonito à apresentação e à passagem da mensagem da canção. Vocês viram aquela prestação? O público fez silêncio para ouvir a voz maravilhosa do Salvador, uma voz melodiosa que se ouviu em português! Foi um momento de orgulho arrepiante!


A minha segunda canção favorita foi, sem dúvida, a da Finlândia. Nunca imaginei que fosse uma canção tão calma e angelical. Fez-me lembrar a música norueguesa que ganhou em 1995 (no dia em que eu nasci!). Pela primeira vez, votei numa canção do ESC e foi nesta. Fiquei tristíssima quando vi que não passou à final... Hyvää Suomi, olet sydämessäni!


A música do Azerbaijão espantou-me. Nunca pensei que fosse gostar tanto desta música. Adorei, adorei mesmo!


Quanto às outras, houve algumas que gostei, como a da Albânia, da Arménia, do Chipre e da Austrália. Achei graça à da República Checa por ser um registo diferente e inesperado e também à da Eslovénia. Fiquei mais desiludida com a da Suécia e da Moldávia, pois tornam-se demasiado repetitivas e cansativas. As restantes passaram-me ao lado.
O momento das votações foi hilariante quando chegou à parte de Portugal. Viram as caretas dos manos Sobral? Além de inesperado, foi original e acho que cativou ainda mais as pessoas! O que me ri! Eles são tão genuínos! Caramba, adorava conhecê-los!
Chegou o momento de mais ansiedade: o de saber os resultados. Estava quase certa de que íamos passar, mas mesmo assim custou um bocado, principalmente ao ver alguns países menos merecedores a passar... Felizmente não sofri como em 2008, quando a Vânia Fernandes foi a última a ser anunciada finalista. Foi sofrer até ao fim, mas foi também um momento memorável para todos! Ah, e ontem quando anunciaram Portugal, a reacção do Salvador voltou a ser cómica, do género "Ohh, estou na final, não estava nada à espera!"! Este Salvador é o máximo!
E assim chegámos ao fim da primeira semi-final, já com o nosso lugar reservado na final de Sábado. Sete anos depois quebrou-se o enguiço e conseguimos chegar lá! E será que vai ser desta que vamos ganhar? A música tem tudo para ser vencedora! Como eu gostava que fosse, seria uma prenda de anos tão boa! Sonhar não custa... ☺

terça-feira, 9 de maio de 2017

Livro recebido :: "Factos e Figuras de Fátima - Um Dicionário"

Viva! Hoje quero mostrar-vos um livro que chegou cá a casa recentemente: Factos e Figuras de Fátima - Um Dicionário, de Hugo Guégués. Este livro não poderia ter chegado em melhor altura, pois estamos a poucos dias do tão esperado dia de Nossa Senhora (que, só por acaso, é o dia do meu aniversário) e o livro traz inúmeras curiosidades acerca dos acontecimentos e das pessoas envolvidas ao longo destes 100 anos. Devo dizer que todos nós cá em casa já recorremos a ele várias vezes para ler um ou outro aspecto interessante que ainda nos era desconhecido ou então para descobrirmos mais alguma coisa sobre o assunto.
Este ano foram editados vários livros sobre Fátima, mas quanto a este posso dizer que é um livro muito bem organizado e de fácil acesso.
Já leram algum livro acerca deste tema?

Título: Factos e Figuras de Fátima - Um Dicionário
Autor: Hugo Guégués
Editora: Guerra e Paz
Ano: 2017

Sinopse:
Aqui está Fátima desde o primeiro dia. Da tantas vezes esquecida primeira aparição do anjo, até à vinda, agora, do último peregrino, o Papa Francisco. Todos os factos importantes, todas as figuras, todas as aparições de Nossa Senhora, desde a aparição de Maio de 1917. Todas as palavras da Virgem Maria e dos pastorinhos.
Nesta obra, em forma de dicionário, o autor refere as principais figuras e factos relacionados com as aparições de Fátima, desde 1917 até à actualidade, com a comemoração do centenário deste acontecimento religioso que marcou o século XX em Portugal e no mundo, atraindo cada ano mais de cinco milhões de peregrinos.

domingo, 7 de maio de 2017

Colecção "Ler Faz Bem" da Revista Visão #5

Olá! Já tenho o quinto livro da colecção Ler Faz Bem da Revista Visão. Desta vez é o livro O Grande Gatsby, de F. Scott Fitzgerald. Por acaso, já tenho cá em casa um exemplar desta obra, mas na sua versão inglesa, e já cheguei a pensar em lê-lo; no entanto, na altura, ainda não tinha muito à-vontade em ler livros noutra língua, por isso acabei por nunca conhecer este livro.
E vocês, já têm o vosso exemplar? Já conhecem a obra?

Já agora, feliz Dia da Mãe!

Título: O Grande Gatsby
Autor: F. Scott Fitzgerald
Editora: Cardume Editores
Ano: 2017

Sinopse:
Relato pungente do período que se seguiu à I Guerra Mundial, O Grande Gatsby (publicado em 1925) explora a fronteira entre a prosperidade americana e o desencanto face à ascensão do materialismo e a perda de valores morais. Jay Gatsby é um rapaz pobre de origem rural que se apaixona por Daisy Buchanan. Depois de servir fora do país, Gatsby regressa para encontrar Daisy casada com um milionário. Assim é espoletada, neste self-made man, a ambição de enriquecer, para atrair de novo Daisy à sua convivência. A obra-prima de F. Scott Fitzgerald retrata a idade do jazz em todo o seu esplendor e decadência, naquele que é considerado um dos grandes romances do século XX.

quinta-feira, 4 de maio de 2017

Opinião :: Uma Mão Cheia de Plantas que Curam | Fernanda Botelho

Título: Uma Mão Cheia de Plantas que Curam - 55 espécies espontâneas em Portugal
Autora: Fernanda Botelho
Editora: Dinalivro
Ano: 2015

Sinopse:
Este livro não é apenas um guia prático e transpõe também as fronteiras que limitam os manuais técnicos. É verdade que identifica os constituintes químicos, bem como as propriedades e aplicações medicinais de 55 plantas, mas vai mais além, porque as quer retratar a partir de todas as perspetivas e em todos os contextos. Assim, a par de conselhos de cultivo e curiosidades botânicas, são-nos revelados os usos possíveis das várias espécies ao nível da culinária, da cosmética ou da tinturaria. Ao mesmo tempo, descobrimos o seu impacto cultural: as marcas que imprimiram na história dos homens, os mitos e as lendas de que são protagonistas. As imagens a cores, por sua vez, despertam-nos o olhar para as subtilezas presentes numa folha de milefólio em contraluz ou para os pormenores de um botão de esteva prestes a desabrochar. E, página a página, de uma forma quase íntima, aproximamo-nos de 55 plantas aqui unidas por um atributo comum: o facto de crescerem espontaneamente em Portugal.

Opinião:
Creio que este texto não seja considerado propriamente uma opinião, pois foi mais em mote de curiosidade que decidi escrever sobre este livro.
Há dias, estava a ver na televisão um programa sobre saúde e, como acontece várias vezes, uma das convidadas foi Fernanda Botelho para nos dar conselhos acerca de plantas que nos ajudam em determinados casos. Gosto sempre de ouvir as suas dicas pois eu dou muito valor aos remédios caseiros, aos chás e a tudo que seja natural, mas foi ao ver este livro na televisão que me lembrei de que o tinha cá em casa!
Ao folheá-lo - com mais curiosidade do que da última vez -, reparei em muitas plantas, ditas bravias, que são mencionadas no livro e que tenho no quintal cá de casa! Fiquei pasmada com as propriedades de algumas delas, como por exemplo a tanchagem (que sempre a conheci como língua-de-ovelha) e os umbigos-de-vénus (que, caseiramente, lhes chamamos tortulhos).
Todas as plantas estão devidamente organizadas e acompanhadas pelos nomes científicos, nomes vulgares e até em inglês e francês. Além das suas propriedades, conhecemos também as suas aplicações na saúde e na culinária, bem como a sua história, o que eu acho fantástico!
As fotografias, da autoria da própria Fernanda, são lindas: dão muita cor ao livro e ajudam a reconhecer facilmente cada variedade de espécie.
Como se trata de flores e de ervas, algumas delas vêm com precauções a ter em atenção. Quando não conhecermos bem a planta nem tivermos a certeza de que ela é inofensiva, convém não nos arriscarmos ao seu consumo. Talvez por isso é que ainda não me arrisquei a provar alguma, mas muitas delas são também usadas externamente e, nesse caso, não existe tanto receio.
Este livro é muito útil para conhecermos a flora que nos rodeia e ajuda-nos a vivem em harmonia com a Natureza. Se não têm nem este livro nem os outros da Fernanda, visitem o seu blogue, Malva Silvestre, pois lá também vão encontrar muitas dicas e curiosidades.

segunda-feira, 1 de maio de 2017

Lista de Desejos :: Maio 2017

E num ápice já estamos novamente no melhor mês do ano! 😁 Em breve chegará o dia do meu aniversário e, mais uma vez, decidi listar uns livrinhos que adoraria ler e, quem sabe, receber como prenda!
Mas não se preocupem, não me vou alongar muito... :)
Tempestade de Verão, de Jenny Colgan
A Tua Segunda Vida Começa Quando Percebes que não Terás Outra, de Raphaëlle Giordano
O Poder das Pequenas Coisas, de Jodi Picoult
Isabel de Aragão, de Isabel Stilwell
O Coração de Simon contra o Mundo, de Becky Albertalli
Encontra-me, de J. S. Monroe

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Livro recebido :: "Noites Escaldantes"

Boa tarde! Hoje venho mostrar-vos o mais recente livro que se juntou à minha colecção: Noites Escaldantes, de Sylvia Day. Estou bastante curiosa com esta leitura, pois gosto muito de literatura erótica e já há algum tempo que não leio livros destes.
E vocês já leram?

Título: Noites Escaldantes
Autora: Sylvia Day
Editora: Chá das Cinco (Saída de Emergência)
Ano: 2014

Sinopse:
Connor é um guardião dos sonhos e está presente em todas as fantasias eróticas de mulheres. Ao vaguear no mundo etéreo, oferece às mulheres prazeres inimagináveis. Mas ele sabe que um terrível perigo ameaça destruir o seu mundo, bem como o mundo dos mortais, e assim é forçado a viajar à terra… e cair nos braços da sedutora Stacey Daniels.
Stacey sempre se sentiu atraída pelo tipo errado de homens e o homem musculado e de aparência viking que lhe surge à porta não é exceção. Mal consegue acreditar que o guerreiro ferido vem de outro mundo, um mundo onde sonhos eróticos são necessários para sobreviver, um mundo cheio de perigos que ele trouxe para a sua casa. Connor descobre conforto na paixão entre ambos e sente Stacey a render-se às suas promessas, mas apenas o tempo poderá dizer se isso será suficiente para derrotar o inimigo que o persegue…

terça-feira, 25 de abril de 2017

Opinião :: Paga O Que Deves! | Nilton

Título: Paga O Que Deves!
Autor: Nilton
Editora: Livros d'Hoje
Ano: 2010

Sinopse:
Um livro divertido de um dos maiores humoristas da actualidade.
Um livro de humor, cujo título nos remete para uma das rubricas mais populares do autor no seu programa 5 Para a Meia-Noite.

Opinião:
Gosto do Nilton e estava curiosa em relação ao que ia encontrar no livro. Antes de o ler, e apenas tendo lido a pequena sinopse do mesmo, previ que a leitura seria agradável e engraçada. E foi, mas não tanto quanto tinha imaginado.
Neste livro, Nilton registou pensamentos, colocou questões e escreveu críticas à sociedade portuguesa da actualidade. De maneira cómica e por vezes irónica, os textos relatam também algumas experiências do próprio autor e que aconteceram igualmente a muitos de nós.
Em alguns momentos, dei por mim a rir às gargalhadas: ora me revia em algumas situações, ora notava que o Nilton também se questionava acerca das mesmas coisas que eu (por mais estranhas que fossem!). Contudo, muitos dos textos não me despertavam qualquer emoção. Achei também que havia demasiados textos relacionados com sexo e mulheres, mas alguns deles eram engraçados.
A escrita é muito informal e acessível, tal como deve ser este género de leitura.
Apesar de não o ter adorado, o livro não me desiludiu e valeu a pena pelas vezes que me fez rir.

sábado, 22 de abril de 2017

Livro recebido :: "O Livreiro de Paris"

Olá! Quero mostrar-vos um livro novo: O Livreiro de Paris, de Nina George. Acho que vou adorar esta leitura! E reparem só nesta capa: é linda! Fiquei encantada (ou enchantée, se preferirem)! 😃

Título: O Livreiro de Paris
Autora: Nina George
Editora: Editorial Presença
Ano: 2017

Sinopse:
Jean Perdu é proprietário de um negócio tão especial quanto extraordinário: a Farmácia Literária, uma livraria instalada num barco atracado no rio Sena, em Paris. Ao invés de vender medicamentos, receita livros como remédio para os males da alma. Porém, embora saiba aliviar a dor dos outros, não consegue atenuar a sua própria dor. O que Monsieur Perdu não sabe é que a descoberta de uma carta do seu passado está prestes a mudar-lhe o destino. Depois de a ler, Jean encontra-se numa encruzilhada: continuar uma existência sombria e dolorosa ou embarcar numa viagem ao Sul de França, até à Provença, ao encontro da reconciliação com o passado e da beleza da vida.

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Review :: My Name Is Tiarra | Mimi Marten

Title: My Name Is Tiarra
Author: Mimi Marten
Publisher: CreateSpace Independent Publishing Platform
Year: 2016

Synopsis:
Tiarra Simon comes from an impressive international family of diplomats. She now lives a comfortable and somewhat routine life as a soccer mom on the island of Maui. But that changes when she, and Reese Martinez, youth soccer coach, arrive to London for a meeting with Alexei Ibramovich, the powerful, intimidating, and rich owner of the Chelsea United Football Club.
Coming to secure an endowment and coaching assistance for soccer youth on Maui, she quickly realizes that much more is at play. Alexei is as mysterious and dark as his past seems to suggest. From the moment they meet, there is electricity in the air and they both feel the magnetism. Alexei is overwhelmed by Tiarra, but he doesn’t know what to do with his feelings for her or even with the woman herself.
Tiarra’s family is at the heart of everything she does. Her husband Sergio, who himself comes from an international and political family from Argentina, and her two boys. Thus, as her integrity, her values, and her relationships get tested, she attempts the impossible in London.
Tiarra Simon is a force of nature. Love her or hate her, she will get to you. As Tiarra sweeps through their lives, no one is the same.

Review:
I love Tiarra! She is confident, strong and independent: everything that everyone would like to be. Also, she comes from an international family and she travels a lot and knows many languages. For me, she is complete, even an idol! However, sometimes I felt that her qualities were too highlighted, which made people around her look a bit submissive, although that fact gave the story a lot more fun!
In this book, we find Tiarra's special goal: to help the kids of Maui, her home, in Hawaii. In order to achieve it, she travels to London with Reese to meet the board of directors of Chelsea's football club and its players, so they can help them monetarily.
The story is a serie of events of this trip, where we can follow Tiarra's adventure and get to know the reasons why she chose this club in particular.
I felt that this story should be real! The willing of this woman to help children is praiseworthy and I think she made a great choice by speaking to the rich people of Football. Those who have millions should help the ones that have less but still admire them. The world would be so much better!
Besides, I loved the traveling aspects: they flew from the other side of the planet to London, being also in Paris, for this special purpose.
Because it's about football, Cristiano Ronaldo's name had to appear! 😀 And I was not expecting to see José Mourinho playing a role in the story. As a Portuguese, I felt very proud!
I enjoyed the author's writing. There were plenty of formal scenes and dialogues, but the majority of the descriptions were informal, comic sometimes, and very easy to read.
The way it ends invites us to read the next two books. I confess that I'm interested!
I recommend this book to those who like the football's world, travels and people that help others. You really need to meet Tiarra.

Do you know Tiarra's series? What do you think?

domingo, 16 de abril de 2017

Boa Páscoa! (Já agora, lembram-se disto?)

(Imagem retirada da Internet)
Boa Páscoa para todos! Espero que desfrutem deste dia da melhor maneira, cheio de alegria e paz, na companhia daqueles que vos são mais importantes. Comam também muitas amêndoas e doces e se conseguirem um tempinho livre para lerem um bocadinho, tanto melhor!

Mas, antes de eu própria ir enfardar-me de doces e afins, deixem-me contar-vos uma coisa.
Há dias estava a pensar neste dia de Páscoa e estava com a sensação de que o dia 16 me fazia lembrar qualquer coisa. Passado algum tempo é que me lembrei: em 2006, a Páscoa também foi no dia 16 de Abril. E ficou marcado, na altura, pelo acidente de viação que ceifou a vida ao Francisco Adam, actor nos Morangos com Açúcar. Apesar de não ter sido grande fã da série, eu fiz parte da geração Morangos (que, diga-se de passagem, é uma das melhores!) e aquela notícia chocou-me e a todo o país. Parece que foi ontem e já se passaram onze anos... Também se lembram disto?
Vá, depois deste desabafo, é melhor ir comer amêndoas. Porque às vezes também sabe bem cometer excessos.

Happy Easter! 😀

sexta-feira, 14 de abril de 2017

Received book :: "Logos"

Hello, everybody! I want to show you my new book: Logos, by John Neeleman. This is another book won on Goodreads and I was looking forward for it. Now that I have it finally in my hands, I must say that this book looks amazing! I love historical novels and I'm eager to start reading this one, but I confess it'll be a challenging read, since it's a big book, with a strong subject, in English. Anyways, of course I'll review it once I'm finished! ☺

Title: Logos: a novel of Christianity's origin
Author: John Neeleman
Publisher: Homebound Publications
Year: 2015

Synopsis:
Logos is a bildungsroman about the anonymous author of the original Gospel, set amid the kaleidoscopic mingling of ancient cultures.
In A.D. 66, Jacob is one of Jerusalem's privileged Greco-Roman Jews. When Roman soldiers murder his parents and his beloved sister disappears in a pogrom led by the Roman procurator, he joins Israel's rebellion against Rome. The rebellion he helps to foment leads to more tragedy - personal and, ultimately, cosmic: Jacob's wife and son perish in Rome's siege of Jerusalem, and the Romans destroy Jerusalem and the Temple, and finally extinguish Israel at Masada. Jacob wanders, and in Rome, he joins other dissidents - plotting vengeance not by arms, but by the power of an idea.
Paul of Tarsus, Josephus, the keepers of the Dead Sea Scrolls, and the historical Jesus himself each play a role in Jacob's tumultuous fortunes, but the women who have loved him compel the transforming and subversive climax.

terça-feira, 11 de abril de 2017

Colecção "Ler Faz Bem" da Revista Visão #4

Viva! Já adquiri o quarto livro da colecção Ler Faz Bem da revista Visão. Este mês foi a vez da obra A Metamorfose, de Franz Kafka.
Também já têm este livro?

Título: A Metamorfose
Autor: Franz Kafka
Editora: Cardume Editores
Ano: 2017

Sinopse:
Franz Kafka (Praga, 1883-Viena, 1924), escritor checo de língua alemã, é um dos romancistas mais perturbantes do século XX e um dos que mais influenciaram toda a literatura moderna. Os seus livros retratam-nos a sensação de claustrofobia e impotência do homem moderno perante a realidade absurda e labiríntica que o envolve e as forças exteriores que escapam ao seu controlo.
De entre os seus livros destacam-se Carta ao Pai (1910), O Processo (1925), O Castelo (1926) e este A Metamorfose (1915), obra extraordinária, que nos conta a história de Gregor Samsa, um caixeiro-viajante que suportava financeiramente a sua família e que certa manhã se viu transformado num insecto. Impossibilitado de ir para o trabalho e incapaz de comunicar com os seus familiares, Gregor Samsa vai tornando-se um peso insuportável para estes e sendo relegado para uma situação de marginalização. Narrativa simbólica, A Metamorfose reflecte sobre a angústia individual, a solidão e a desesperança humana.

sábado, 8 de abril de 2017

Livro recebido :: "Maria Vai-te Deitar! E outros contos"

Viva! Tenho aqui um livro novo para vos mostrar: Maria Vai-te Deitar! E outros contos, de Lubélia Sousa. É um livro com 20 contos infantis e que me parece perfeito para partilhar com os meus primos mais novos!
Também têm o hábito de ler com ou para crianças?

Título: Maria Vai-te Deitar! E outros contos
Autora: Lubélia Sousa
Editora: Chiado Editora
Ano: 2016

Sinopse:
Uma cobra, uma formiguinha, uma abelha e sopa da pedra?
Sim, descobre estes e outros contos dentro do livro!
Um história todos os dias ao acordar ou ao adormecer.

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Opinião :: Confia em Mim | Lesley Pearse

Título: Confia em mim
Autora: Lesley Pearse
Editora: ASA
Ano: 2016

Sinopse:
As irmãs Dulcie e May têm uma vida perfeitamente normal em Inglaterra… até ao dia em que o pai, por acidente, mata a mãe. Quando ele é condenado a uma pena por homicídio involuntário, as duas meninas ficam sozinhas no mundo.
É no orfanato que as irmãs percebem o verdadeiro significado da palavra crueldade. Mas a promessa de uma “vida melhor” na Austrália enche-lhes o coração de esperança… Infelizmente, a realidade reserva-lhes mais um duro golpe.
Será apenas muito mais tarde, ao conhecer o jovem Ross, também um “sobrevivente” dos orfanatos, que Dulcie tem um vislumbre da felicidade. Mas após uma vida a ouvir tantas promessas vãs, terá ela a força de espírito para confiar em alguém a ponto de lhe entregar o seu coração? E conseguirá ainda salvar May das garras de um destino trágico?
Baseado em factos reais, Confia em Mim podia ser a história de milhares de crianças vulneráveis, arrancadas aos seus lares e aos entes queridos em meados do século passado.
Com a ternura a que já nos habituou, Lesley Pearse retrata a chocante realidade da migração infantil, bem como as marcas duradouras que deixa nas suas vítimas.

Opinião:
Mais um livro de Lesley Pearse lido e mais um para a minha lista dos favoritos! Este livro foi qualquer coisa de arrebatador...
Confia em Mim conta a história das irmãs Dulcie e May que cedo foram internadas num orfanato e onde sofreram actos crudelíssimos por parte das freiras. Mais tarde, na ilusão de um futuro melhor, foram levadas para a Austrália, no entanto acabaram por sofrer ainda mais durante os restantes anos das suas infâncias. Estas irmãs têm personalidades diferentes e as suas vidas acabam por tomar rumos igualmente distintos.
O livro foca-se essencialmente na Migração Infantil que se deu em meados do século XX e nas atrocidades que as crianças sofreram em inúmeros orfanatos, quer em Inglaterra, quer na Austrália. A descrição desses maus tratos é arrepiante e até repugnante, e custou-me acreditar que tivessem realmente acontecido. Essas crianças, por conseguinte, ficaram marcadas para toda a vida: têm medos, falta de emoções, de auto-estima e até de capacidade de confiar nos outros, e isso acaba também por ter influência naqueles que os rodeiam.
Apesar das coisas más, gostei muito do romance que a autora desenvolveu. Gostei também muito da força de Dulcie, a personagem mais destacada, e acho que mereceu o destino que teve. As outras personagens foram igualmente relevantes e todas me marcaram (à excepção das freiras e dos frades!). Adorei também as descrições das viagens e das terras australianas (Perth, Sydney, ...), pois não costumo ler histórias decorridas lá.
A acção tomou parte depois da Segunda Guerra Mundial e, como tem sido hábito nos livros de Lesley, houve muitos aspectos históricos e foi agradável seguir também a evolução do tempo, das modas e mais tarde das mentalidades.
Foi um livro demorado de se ler por causa das 752 páginas, mas fiquei com sede de mais algumas! Já reparei que, pelo menos com esta autora, quanto maior é o livro, mais eu gosto dele. Até agora, é o meu favorito!
Aconselho vivamente esta leitura. Tem relatos chocantes, no entanto o romance é muito bonito e comovente.

domingo, 2 de abril de 2017

Received book :: "Jais"

Hello, readers! Recently I received a new book won in a Goodreads' giveaway: Jais, by Jason Kasper. I'm not used to read this genre, but of course I'll review it just after finishing my reading.
By the way, this copy came autographed by the author! Thank you so much!

Title: Jais (David Rivers Series #1)
Author: Jason Kasper
Publisher: Jason Kasper
Year: 2016

Synopsis:
Welcome to the war.
David Rivers returns from combat to find the silence of peace deafening. Escaping into the thrill of BASE jumping keeps a darkness growing within him at bay, until a discharge from military service pushes him over the edge.
After brutally settling his final score, David is confronted by three men who emerge from the shadows, having watched unseen as he committed ruthless, cold-blooded murder.
Now, they want him to do it again.
David undertakes the single most dangerous assignment of his life, earning admission into the dark underworld of ex-special operators for hire and plunging headlong into a new war, where victory is defined by profit and the rules are set by the highest bidder.

But as the stakes - and the payoff - continue to rise, his pursuit of the impossible is turning into a battle for survival, and David must confront the growing realization that his greatest enemy may not be within after all. 
Jais, the debut novel by Jason Kasper, is the first book in the David Rivers Series.

quinta-feira, 30 de março de 2017

Manias de leitora #1


Quando leio um livro, reparo sempre em algumas gralhas. Sim, é verdade, ninguém é perfeito e quem edita os livros nos computadores pode deixar escapar um erro ou uma falha, mas eu, no meu espírito perfeccionista, penso logo «caramba, espero que voltem a editar este livro e que corrijam este pormenor!».
Vá, não quero ser mazinha: há gralhas que tolero. Umas vezes é um acento que é grave e está agudo, outras vezes é um travessão e está um ponto. No entanto, já me deparei com alguns erros gramaticais que me fizeram (e ainda fazem...) alguma comichão...
Bem, tenho esta pequena mania que pode ser irritante para alguns, mas acredito que não serei a única! Vocês também são assim?
Vá, digam que sim... 😉

segunda-feira, 27 de março de 2017

Livro recebido :: "Flashback - Memórias Esquecidas"

Olá! Há uns dias chegou este livro à minha estante: Flashback - Memórias Esquecidas, de Orquídea Polónia. Já há muito tempo que ouço falar deste livro e sempre tive interesse em lê-lo e, finalmente, vou ter essa oportunidade!
Já o leram? O que têm a dizer sobre ele?

Título: Flashback - Memórias Esquecidas
Autora: Orquídea Polónia
Editora: Chiado Editora
Ano: 2016

Sinopse:
“O ar estava carregado, os meus sentidos alertavam-me que algo de negativo se passava lá. As paredes altas de cimento davam-me a sensação de estar presa. O chão de madeira a chiar debaixo de mim provocava-me arrepios.”
Após um misterioso acidente, Anabela acorda sem qualquer memória daquilo que teria sido a sua vida. Assim, vê-se envolvida num mar de incerteza e solidão, sem qualquer vestígio da pessoa que fora um dia. As suas novas amizades permitem-lhe ir descortinando o seu passado, encontrando toda uma vida prévia ao acidente: uma família, uma casa luxuosa e um marido. No entanto, aquilo que ela descobre também a coloca em perigo e as suas memórias tornam-se alarmes sonantes de um passado imperfeito. Deverá Anabela confiar na vida que tivera um dia e nas pessoas que lhe eram próximas? Ou deverá construir um novo caminho segundo o que lhe dita o coração?

quinta-feira, 23 de março de 2017

Opinião :: O Homem Que Me Fizeste Ser | André Sousa

Título: O Homem Que Me Fizeste Ser
Autor: André Sousa
Editora: Chiado Editora
Ano: 2016

Sinopse:
"São três da manhã e o sono parece não querer chegar. As memórias são tantas: os dias vividos, as fotografias espalhadas por esta mesa e a certeza... de que te amo acima de tudo nesta vida. Poderia passar o resto dos meus dias a escrever-te, a contar-te tudo o que despertas em mim, tudo o que fizeste para mudar a minha história. No fim de contas, fizeste de mim um homem melhor, um lutador que te abraça nas noites frias, que te beija nos instantes de loucura, que te protege em todos os dias desta nossa paixão."

Opinião:
O Homem Que Me Fizeste Ser é um diário pessoal onde o autor escreveu memórias, pensamentos e tudo o que sentia em relação ao amor e à sua amada, através de versos, pequenos textos e até fotografias.
Inicialmente, achei o livro muito monótono e repetitivo, pois notei que os textos falavam basicamente do mesmo assunto, mas à medida que avancei na leitura, fui apreciando um pouco mais. Isto porque o diário teve início em 1990 e continuou até 2016 (com alguns interregnos), ou seja, não falou apenas do amor que o escritor sente pela sua mulher, mas também das suas vivências como casal, das experiências mais íntimas e dos bons e maus momentos que foram partilhando com o passar dos anos e que permitiram a construção de uma vida a dois.

Deixa-me morrer a teu lado, depois de viver uma vida inteira... contigo.
Gostei particularmente da parte final, que é uma conclusão do diário e onde o autor faz referência à necessidade, acima de tudo, de haver amor próprio para se ser capaz de amar o outro.
Este é um livro para se ler e observar com calma, de modo a desfrutar de cada frase, de cada sentimento, de cada conselho. Apesar de ser um livro a preto e branco, não transmite tristeza. Transmite, sim, muito amor e é, de facto, um livro muito bonito!

Talvez nunca seja tarde... para amar como da primeira vez. Talvez o que se precise é de um tempo, um tempo que nos dê a certeza - a firmeza de que o sentimento é maior do que o medo. Talvez existe sempre esse momento... e é nele que passamos a viver, que passamos a conhecer o verdadeiro sentimento - capaz de nos fazer mais humanos.

segunda-feira, 20 de março de 2017

Livro recebido :: "Síndrome de Antuérpia"

Viva! A minha biblioteca não pára de crescer! Desta vez juntou-se o livro Síndrome de Antuérpia, de João Felgar, à minha colecção. Tenho apreciado cada vez mais literatura portuguesa e, sendo este um romance, espero vir a gostar do livro.

Título: Síndrome de Antuérpia
Autor: João Felgar
Editora: Clube do Autor
Ano: 2016

Sinopse:
"Não foi uma notícia, porque as notícias explodem como bombas. Foi um segredo, que progrediu casa a casa, alastrando como uma marcha que escolhe os seus objectivos, os envolve e engole, crescendo em silêncio, transformando quem o ouve num cúmplice.
Não estão escritos os critérios de dispersão de um segredo. Mas há nas comunidades uma intuição que as leva a saber por quais ruas ele corre e em que casas não deve entrar, selecionando quem o difunde, quem o ouve e cala, e quem nunca o virá a saber.
Normas que podem permanecer adormecidas durante gerações, como certas sementes no deserto, e que subitamente ressurgem, atribuindo a cada um o seu papel, numa lógica que não é governada por homens, mas apenas pelo instinto coletivo. Porque as comunidades, como qualquer ser vivente, sabem bem quando são feridas de morte."

sábado, 18 de março de 2017

18 de Março - 1 ano de blogue!

É verdade, o blogue faz hoje um ano! Como o tempo passa!
Há um ano, não imaginava o quanto este blogue iria crescer. Li muitos livros, conheci vários autores de todas as partes do mundo e também outros leitores que foram visitando e seguindo o que eu publicava. O que começou por ser um cantinho bastante pessoal, tornou-se um local de partilha do gosto pela leitura com o mundo. E que bom que assim foi!

Espero poder continuar a alimentar este blogue e também espero merecer as vossas visitas! Obrigada! 😀

sexta-feira, 17 de março de 2017

Review :: Borrowing Alex | Cindy Procter-King

Title: Borrowing Alex
Author: Cindy Procter-King
Publisher: Blue Orchard Books
Year: 2013 (2nd edition)

Synopsis:
Nikki St. James wants to get married more than anything. But what’s she to do when her fiancé spends his days sucking up to her rich father instead of helping with the simple task of, oh, setting a date? Why...fake a fling with the best man, of course!
Nikki is the first to admit that ambushing Alex Hart and whisking him off to secluded Lake Eden is a tad desperate. But maybe pretending she’s hot for the handsome history professor will kick-start the attention of her future groom. Besides, a sojourn at a lakeside cabin is exactly what uptight Alex needs. Not that Nikki cares what he needs or how sexy he is....
Alex is not on-board with Nikki’s plan. Yeah, he’d love a break from his quest to achieve tenure at warp speed, but getting kidnapped by a crazy blonde hardly tops his to-do list. If what he’s heard is true and Nikki is perfectly happy with her “open” engagement to his former college roommate, why bother getting married?
Quickly, he realizes Nikki isn’t a wild party girl at all. She’s cute, sweet—and faithful. Against his common sense, he’s falling for her. Should he spill the beans about her cheating fiancé? Or will he ruin his own chance for a happy ending?

Review/opinion:
Borrowing Alex is a romantic comedy which, in the beggining, didn't captivate my full attention. That might be due to Nikki, the girl who borrowed Alex, kidnapping him, in an ultimatum attempt to her fiancé, Royce. I found this act too foolish and desperate and it gave me a bad image of her. However, as I kept my reading, I felt just like Alex: jumped to conclusions about Nikki without knowing her well enough.
Along the story, Nikki and Alex meet each other (just like they were completely strangers) and new and beautiful feelings start growing.
I think that the end is too predictable. Despite that, I enjoyed very much the comedy aspects in the story and truly loved Nikki's pets: two dogs, a cat and then a bunny (also a snake appeared in the story, but I don't like snakes: I respect them!).
In general, I liked this book. It is light, funny and also makes us look at what really matters for true love.
I recommend this book to everyone who loves romances in general. Read it, it's worth it!