segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Opinião :: Marta | PJ Vulter

Título: Marta
Autor: PJ Vulter
Editora: Coolbooks
Ano: 2017

Sinopse:
Peixelim, verão de 1972. Todos se preparam para as festas da Vila e Teresa aguarda, ansiosa, o reencontro com os primos, Maria Alva e Rodrigo.
Teresa sempre viveu sob a sombra de Marta, a irmã que nunca conheceu, falecida 20 anos antes. Ao completar 16 anos, tudo piora. De repente, Marta parece ressuscitar para a atormentar ainda mais. Ela era uma assombração para toda a família, mas, inexplicavelmente, nunca se falava dela.
Toda a esperança de Teresa estava naquele alento que os primos lhe davam, nas festividades. Mas, nesse ano, nem eles conseguirão valer-lhe; Marta, e tudo o que ela significa - seja lá isso o que for -, está de regresso para atormentar a sua vida. 
Marta leva-nos aos últimos tempos do Estado Novo e ao clima de suspeição e opressão reinantes. Este belíssimo romance retrata um modo de vida que para a maioria dos jovens de hoje nunca existiu, mas é parte da nossa História recente… E é bom lá voltar, de vez em quando, para sabermos dar valor à liberdade que temos.

Opinião:
A sinopse deste livro deixou-me realmente interessada nesta história, mas, não sei bem porquê, senti que o mesmo não iria surpreender-me ou ser um livro excelente; talvez tenha sido por causa do número relativamente reduzido de páginas, tendo em conta o mistério envolvente. No entanto, desde o início quis conhecer a verdadeira história de Marta.
Em Marta, viajamos até aos anos 50 e 70 do século passado, décadas que viram nascer as irmãs Marta e Teresa, que nunca se conheceram mas que estiveram sempre ligadas. Teresa, agora com 16 anos, vive mais do que nunca assombrada pelo fantasma da irmã, bem como a família que a conheceu e presenciou o seu trágico fim. À custa desse acontecimento, Teresa está infeliz e teme que o seu futuro esteja condicionado, mas os seus primos são o seu grande apoio e farão de tudo para a ajudar. Mas, afinal, a grande questão que se coloca é: o que aconteceu a Marta? Por que razão morreu ela tragada por uma onda?
Durante toda a leitura tive essas questões sempre presentes e o certo é que nunca mais encontrava as respostas... Mas fui ficando a conhecer mais pormenores da família e de algumas personagens essenciais à trama, tendo sempre presente a falta de liberdade de expressão que se fez sentir na altura. De facto, este livro é um excelente retrato da ditadura salazarista e, por vezes, custou-me acreditar que aquelas situações se passaram há pouco mais de quarenta anos (em plena juventude dos meus pais!).
De volta à história, acho que ela foi relatada com pouco detalhe e desenvolvimento, bem como as personagens mereciam ser mais bem conhecidas. Apesar disso, gostei do enredo e das pessoas envolvidas, principalmente da Teresa e dos primos Maria Alva e Rodrigo, pois representam bem a geração da mudança que lutou pela liberdade do país.
Honestamente, já perto do final e ainda sem saber o que se passara com Marta, comecei a ficar desiludida com o livro. No entanto, o mistério permanente culminou com um final inesperado, completamente surpreendente: não esperava mesmo aquele desfecho. Por isso, este livro subiu na minha consideração.
Apesar de breve, aqui está um bom livro para os que gostam de mistérios e sempre sob a opressão do Estado Novo.

1 comentário: