sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Opinião :: Gravar as Marcas | Veronica Roth

Título: Gravar as Marcas
Autora: Veronica Roth
Editora: HarperCollins
Ano: 2017

Sinopse:
Numa galáxia dominada pela corrente, todos têm um dom.
CYRA é a irmã do tirano cruel que governa o povo de Shotet. O dom-corrente de Cyra confere-lhe dor e poder, que o irmão explora, usando-a para torturar os seus inimigos. Mas Cyra é muito mais do que uma arma nas mãos do irmão; é resistente, veloz e mais inteligente do que ele pensa.
AKOS é filho de um agricultor e do oráculo de Thuvhe, a nação-planeta mais gelada. Protegido por um dom-corrente invulgar, Akos possui um espírito generoso e a lealdade que dedica à família é infinita. Após a captura de Akos e do irmão, por soldados Shotet inimigos, Akos tenta desesperadamente libertar o irmão, com vida, custe o que custar. Então, Akos é empurrado para o mundo de Cyra, onde a inimizade entre ambas as nações e famílias aparenta ser incontornável. Ajudar-se-ão mutuamente a sobreviver ou optarão por se destruir um ao outro?
Da autoria de Veronica Roth, Gravar as Marcas é um retrato deslumbrante do poder da amizade e do amor, numa galáxia repleta de dons inusitados.

Opinião:
Não criei grandes expectativas em relação a esta leitura, uma vez que não sou fã deste género literário, mas cedo percebi que iria gostar desta história.

Numa galáxia dominada pela corrente, todos têm um dom.

Nesta galáxia, onde existem diferentes planetas e povos, todos têm um dom-corrente e alguns são predestinados. Além disso, caracterizam-se por serem lutadores, tendo inclusivamente escolas de combate, e ao longo do livro testemunhamos vários confrontos.
Através das personagens principais, Akos e Cyra, conhecemos as suas vidas, as suas ligações e o que acontece nestes mundos distintos.
Pensei que me ia custar a interiorizar todos os neologismos criados pela autora (quer os nomes das personagens, quer os elementos que fazem parte da galáxia), contudo achei-os bastante originais e aceitei-os bem. A história em si também foi agradável; gostei das diferenças entre Akos e Cyra e das suas particularidades, pois acabam por se complementar um ao outro. Entre eles surgiu uma relação de amizade que vale a pena conhecer.
Todavia, o final manteve-me em suspenso, ou seja, senti que a história não estava completa e isso desiludiu-me um pouco. Porém, mais tarde descobri que o segundo volume irá ser publicado no próximo ano. Se tiver oportunidade, irei querer ler.
Em suma, este foi um bom livro. Apesar de a história não me ter marcado muito, confesso que foi uma agradável surpresa.

Sem comentários:

Enviar um comentário