domingo, 22 de abril de 2018

Opinião :: Mariana, Meu Amor | Margarida Rebelo Pinto

Título: Mariana, meu amor
Autora: Margarida Rebelo Pinto
Editora: Clube do Autor
Ano: 2015

Sinopse:
No século XVII, durante a Guerra da Restauração da independência de Portugal, soror Mariana Alcoforado apaixonou-se por um oficial francês. As cartas de amor que lhe escreveu transformaram-se num símbolo da literatura romântica universal. Trezentos anos depois, Alice revisita esta história e aprende com Mariana a vencer a tristeza de um amor perdido.
Mariana, Meu Amor é um romance dentro de um romance, uma narrativa a duas vozes de duas mulheres corajosas que, através de vivências quase opostas, conseguiram desafiar o seu destino e alcançar a paz, sem negar os seus sentimentos mais profundos.

Opinião:
Estava expectante em relação a este livro pela ligação que existe entre o passado e o presente, com um toque de História e muito romance. Agora que o li, não sei bem o que achei... Gostei mas não adorei.
No livro, encontrei Alice, uma jornalista freelancer, que relata a Pedro, o homem que lhe partiu o coração, a sua vida antes e depois de o conhecer, tanto em Lisboa como no Rio de Janeiro, a forma como está a lidar com o fim da relação deles e de como descobriu e aprendeu com Soror Mariana a seguir em frente nestas situações. Alternadamente, aparece Mariana a ditar a sua história a uma noviça do Convento de Nossa Senhora da Conceição, em Beja, acerca do seu caso amoroso com o cavaleiro francês Noël Bouton.
Soror Mariana ficou conhecida pelas suas cinco cartas escritas a Noël, onde desabafa o seu desgosto mas também lhe garante que o vai esquecer. Apesar de ter ocorrido no século XVII, este caso tornou-se transversal a qualquer época.
Relativamente ao livro, pensava que ia encontrar mais aspectos históricos; as palavras de Mariana não se alongaram muito além do prazer carnal que conheceu com Noël e dos sentimentos que lhe teve ao longo da vida. Das cartas, quase nem sinal delas! Só há alguns excertos e por vezes até se repetem. É certo que não esperava lê-las a todas integralmente, mas sinto que ficou aquém do que imaginava. Quanto a Alice, achei-a um bocado ingénua, apesar de ser uma mulher independente e determinada.
O que mais gostei foi da constante menção a Mariana nos textos de Alice, principalmente quando se referia ao amor e à sua personalidade. No entanto, fiquei um pouco desiludida com o final; pareceu-me demasiado romântico e levou-me a pensar: "Tanta coisa para isto?". Foi um final um tanto abrupto e fora do contexto. Mas percebi a intenção...
No final, há uma pequena cronologia interessante sobre Soror Mariana e alguns marcos históricos.
No geral, foi um livro bom de ler, mas não foi perfeito.

Sem comentários:

Enviar um comentário