quarta-feira, 22 de junho de 2016

Opinião :: Mustang | Miriam Alves

Título: Mustang
Autora: Miriam Alves
Editora: Círculo de Leitores
Ano: 2000

Sinopse:
Pepe e Rafa são dois irmãos no limiar da maior idade. O segundo herdou do progenitor o nome de Rafael mas não a maneira de ser, e Pepe faz junto do irmão as vezes do pai. Com quase dois anos de diferença, têm feitios diferentes, mas partilham confidências e charros. Vivem com a mãe e a avó Pipa num andar dos subúrbios da Grande Lisboa. De Rafael Neves Sénior não guardam os dois irmãos senão recordações esbatidas pelo tempo e uma fotografia em que mal se vê a face do pai. É Pepe quem se propõe encontrá-lo, procurando para tal apoio junto de um programa de televisão da SIC. Mas acaba por ser Rafa quem encontra na jornalista do Ponto de Encontro a sua alma gémea. Quanto ao pai, é ele próprio quem toma a iniciativa de (re)aparecer na vida dos filhos, apresentando-se primeiro como homem de negócios bem sucedido e só depois deixando cair a máscara, por detrás da qual os filhos irão reconhecendo traços de um homem violento, desonesto, irremediavelmente ligado ao mundo dos pequenos crimes, primeiro, e dos grandes delitos, depois.

Opinião:
Neste livro, conhecemos a história da família de Pepe e Rafa, dois irmãos cujo pai, Rafael, saíra de casa havia 15 anos e que os deixara com a mãe, Lena, e a avó Pipa. Passados estes anos, Rafael decide aparecer na mesma altura em que os filhos se propuseram a encontrá-lo. Primeiro apresenta-se como Alberto, faz um negócio com os rapazes, ganha confiança com eles e só depois lhes diz quem é e o que o levou a abandoná-los. No entanto, quando Lena fica a saber do regresso de Rafael e que os filhos saem com ele, ela fica triste e surgem-lhe memórias do passado que a levam a várias questões e dilemas, uma vez que ela estava a refazer a sua vida amorosa e este assunto veio desestabilizar as suas emoções. Com o desenrolar da narrativa, encontramos vários temas bastante actuais como a violência doméstica, as separações e os negócios ilegais, bem como pensamentos relacionados com esses problemas que nos fazem reflectir neles.
Dos três livros da colecção, este foi o que menos me agradou. Como a história não me prendeu a atenção, demorei bastante a ler o livro (e a opinar sobre ele). Houve algumas partes das quais até gostei, elementos mais românticos, tal como eu gosto, mas no geral não foi um livro que me marcou. Não vi o filme desta história, mas acredito que tenha um impacto mais positivo. Acho que a acção desta história tenha ficado melhor na televisão.

Sem comentários:

Enviar um comentário