quinta-feira, 5 de julho de 2018

Opinião :: A Livraria dos Finais Felizes | Katarina Bivald

Título: A Livraria dos Finais Felizes
Autora: Katarina Bivald
Editora: Suma de Letras
Ano: 2016

Sinopse:
Se a vida fosse um romance, o de Sara certamente não seria um livro de aventuras. Em vinte e oito anos, nunca saiu da Suécia e jamais o destino perturbou a sua existência. Tímida e insegura, só se sente à vontade na companhia de um bom livro e os seus melhores amigos são as personagens criadas pela imaginação dos escritores, que a fazem viver sonhos, viagens e paixões.
Tudo muda no dia em que recebe uma carta vinda de Broken Wheel, uma pequena cidade perdida no meio do Iowa. A remetente é Amy, uma americana de sessenta e cinco anos que lhe envia um livro. E assim começa entre ambas uma troca de correspondência afectuosa e sincera. Depois de uma intensa partilha de cartas e livros, Sara consegue, finalmente, a quantia necessária para atravessar o oceano e encontrar a sua querida amiga. No entanto, Amy não está à sua espera. O fim da sua vida chegou mais cedo do que se esperava. Enquanto os excêntricos habitantes da cidade, de quem Amy tanto lhe falou, tomam conta da assustada turista (a primeira na história de Broken Wheel), Sara decide retribuir a gentileza iniciando-os no desconhecido prazer da leitura. Porque depressa percebe que Broken Wheel precisa desesperadamente de um pouco de aventura, uma dose de auto-ajuda e também de um pouco de romance. Em suma, esta é uma cidade que precisa de uma livraria.
E é naquele lugar com pouca alma mas com um grande coração que Sara, que sempre preferiu os livros às pessoas, encontrará amizade, amor e emoção: será, finalmente, a verdadeira protagonista da sua vida.

Opinião:
Parti para esta leitura com muita curiosidade, devido à sinopse, mas com receio de uma desilusão, pois li alguns comentários sobre a obra que não foram tão positivos.
No livro, encontrei a jovem Sara, que rumou aos EUA naquela que foi a sua grande aventura de vida. Na cidade de Broken Wheel, ela esperava conhecer a sua amiga Amy, com quem privara por correspondência, mas por azar Amy morrera pouco antes de ela lá chegar. Foi esse o aspecto que mais me despertou para esta leitura; o que se faz quando se sai da zona de conforto, atravessa-se o oceano para conhecer uma pessoa e essa pessoa não está lá? O que acontece depois?
Nas quase 500 páginas do livro, a autora divulga as cartas de Amy para Sara e conta toda a aventura desta última. Como Broken Wheel tem poucos habitantes, todos eles se conhecem e estavam à espera da turista da Suécia, a amiga de Amy. Também por isso, aos poucos fui conhecendo cada um deles, bem como as suas situações de vida.
As pessoas de Broken Wheel receberam Sara de braços abertos e esta incute em cada um o gosto e a magia dos livros. Assim, posso dizer que Sara e os seus livros mudaram a vida daquela cidade, bem como a dela acabou por mudar.
No final, gostei mais da história do que imaginara, pois houve sempre algo a descobrir e foi muito giro acompanhar esta aventura, além de que houve algum romance - e isso eu adoro!
De referir que o livro está repleto de referências a autores e às suas obras, não fossem os livros quase os protagonistas da história! Infelizmente, encontrei algumas gralhas e palavras mal empregues (ainda pior do que erros ortográficos), no entanto não foram frequentes.
Em suma, gostei muito do livro. E a capa do livro assenta perfeitamente na história! 😉

Sem comentários:

Enviar um comentário