sexta-feira, 11 de maio de 2018

Música :: 2.ª Semi-final do Eurovision Song Contest 2018

Já decorreu a segunda semi-final da Eurovisão! Depois de a primeira ter sido fortíssima, logo vi que a segunda não ia ser tão forte, mas não deixou de ser boa!
Havia já algumas músicas que tinha ouvido e gostado, mas estava também curiosa por ouvir e ver as outras actuações. Assim, aqui ficam os meus comentários a cada uma:

  • Noruega - O inolvidável Alexander Rybak! Ele levou uma música impossível de comparar àquela com que ele ganhou em 2009, mas é inevitável não pensar nela... e eu não acho que a recente seja melhor, mas adorei-a na mesma! E os efeitos que se viram na televisão ficaram muito bem, deram mais vida à canção.
  • Roménia - A música era forte, acho que teve algum impacto, mas não gostei muito. Acabou por dizer Goodbye à final...
  • Sérvia - Adoro as músicas balcânicas! E ainda bem que a Sérvia voltou a cantar na sua língua. Gostei também desta, apesar de não ter adorado... Ainda assim, não fiquei muito surpreendida por vê-la na final.
  • San Marino - O que dizer? Infelizmente, na Eurovisão, vejo San Marino como a desistente Andorra: as músicas que levava nunca tinham bons resultados. E isso também se deve à qualidade; não quero dizer que os artistas não tenham qualidade, mas as canções não conseguem ser realmente boas... San Marino já conseguiu chegar a uma final, à enésima tentativa de Valentina Monetta, mas fora essa vez acho que nunca gostei a valer de uma música deles! Vá, a deste ano até poderia ter alguma hipótese, mas não, também não foi desta...
  • Dinamarca - Adorei! Os vikings, o ambiente em palco (fresquinho com a neve 😄), a música e os coros... Foi marcante, foi moderno e mostrou um pouco da cultura daquela região! E assim se fazem boas músicas fazendo jus à personalidade do país!
  • Rússia - A persistência da Julia Samoylova em actuar na Eurovisão é de louvar. Ela é uma mulher muito querida e fiquei emocionada ao ver as experiências dela em Portugal, bem como alguns sonhos realizados. Já quanto à música, não deu... Aquele refrão era doloroso para os ouvidos... E fiquei feliz por ver a Rússia fora da final! Nada a ver com a cantora, mas a Rússia quase pertence inevitavelmente às finais eurovisivas, algumas vezes sem merecer. Este ano não mereceu e não passou, justamente!
  • Moldávia - Amei! Pode não ser a minha música preferida deste ano, mas penso que é a desta semi-final! E porquê? Bem, eu tenho um gosto muito pessoal pelo som das trompetes, muito à custa dos países de leste. Além de ter adorado a melodia desta, a actuação foi espectacular! Contou uma história, foi divertida e cativou o público! Cá em casa, todos adorámos!
  • Holanda - O género country não é comum na Eurovisão, e esta música parecia mesmo ter vindo directamente do Texas! Apesar de ser gira, não seria das minhas primeiras escolhas, mas não fiquei completamente surpreendida com a sua passagem à final.
  • Austrália - Que força em palco, a da Jessica Mauboy! A voz poderosa foi perfeita para a música, que aporta uma mensagem positiva e nos deixa felizes. Gostei da música, não adorei, mas era expectável o apuramento para a final.
  • Geórgia - Adorei o facto de a Geórgia ter levado uma música típica do país e de ter cantado em georgiano. Infelizmente, não consegui gostar muito dela... Tive tanta pena! Achei o grupo tão querido, tive mesmo pena de eles não passarem...
  • Polónia - Inicialmente, ouvi excertos da canção e até nem desgostei; aliás, vários amigos meus disseram que gostavam muito dela. No entanto, quando vi a actuação, notei um grande fracasso... O vocalista desafinou um bocado, além de que o DJ que o acompanhava teve uns momentos de dança um tanto esquisitos... A música era orelhuda, mas falhou ao vivo e falhou a final!
  • Malta - A única parte que gostei da música maltesa foi o refrão; de resto, não me cativou.
  • Hungria - Pois... A Hungria arriscou com uma música metal, e o certo é que se ama ou se odeia. Vá, eu não odiei, mas não consigo aguentar este género musical. Ela fez-me lembrar o reportório dos Linkin Park, e é sabido que eles têm uma legião de fãs. Também por isso, achei que fosse passar à final.
  • Letónia - Laura Rizzotto, brasileira de ascendência portuguesa, levou uma música sexy que poderia chegar bem longe. Eu acabei por não gostar assim tanto, mas surpreendi-me ao ver que não foi apurada.
  • Suécia - Como é hábito, a Suécia levou uma canção moderna, que cativa qualquer pessoa. Gostei da actuação, mas achei um bocado aborrecida. Claro que passou à final, mas sem dúvida que trocava esta por uma outra finalista!
  • Montenegro - Mais uma canção típica daquela zona da Europa e de novo na língua materna. Por vezes gosto das melodias, mas desta vez não foi bem o caso; nem me aqueceu nem arrefeceu.
  • Eslovénia - Simpatizei bastante com a Lea Sirk, ainda mais quando me apercebi de que ela já imitou o Salvador Sobral no país dela. A música não me parecia ser muito o meu género, mas fiquei muito surpreendida com a actuação ao vivo. E aquele momento em que a música pára? Tive um mini ataque cardíaco: imaginei logo que foi uma falha técnica, que toda a gente iria falar mal dos portugueses e dizer que foi um falhanço imperdoável... Sim, todos aqueles pensamentos pessimistas clássicos dos portugueses! Mas mal a música voltou, vi que fazia parte e foi uma boa estratégia deles! Tornou a actuação memorável e talvez lhes tenha valido a passagem à final... Quem sabe!
  • Ucrânia - Música poderosa, actuação forte e fogosa! O Mélovin tem uma voz muito boa, além de que é giro que se farta! 😁 Gostei muito da aposta ucraniana.


Após o desfile das canções, houve dois momentos altos da noite: a dança das apresentadoras, das quais destaco a Filomena a dançar a Euphoria (até que estava parecida!) e o vídeo das gravações dos postcards dos vários países. Devo dizer que foi o que mais me emocionou até agora, porque mostrou ainda mais genuinamente a beleza do nosso país. Lindo!

A selecção dos finalistas divergiu um pouco das minhas escolhas, mas acabei por me conformar.
Agora falta apenas a Grande Final! Vamos ouvir os vinte escolhidos com os big 5 e Portugal! Este ano está particularmente forte e não consigo mesmo prever um vencedor; já ouvi várias teorias e já imaginei possíveis vencedores, mas penso que vai haver suspense até ao último segundo. Ainda assim, aqui ficam as minhas preferências, em ordem aleatória: Chipre, Bulgária, Finlândia, Áustria, Noruega, Dinamarca, Moldávia e Ucrânia. Quanto aos 5+1, só amanhã é que irei ver para crer. Sim, gosto da de Portugal, e não é por ser a nossa! Acho que a França, a Espanha e a Itália também vão estar bem, mas amanhã veremos...

Fonte: www.eurovision.tv
Estou ansiosíssima por saber quem vai ganhar! See you on the Grand Final!

1 comentário:

  1. Vou comentar aqui tudo de uma vez :)
    Sou suspeita para falar de Alexader Rybak. Sou fã e sigo atentamente todos os vídeos que ele vai partilhando no youtube. Gostei mais da Fairytale, mas esta fica no ouvido e ele arrasa em palco.
    Não gostei nada da música da Suécia. Aliás, na final houve uma sequência de músicas que eu retirava. Encaixaram as que eu não gostava umas a seguir às outras.
    Também adoro a música espanhola. Só acho que em palco faltou qualquer coisa que funcionasse melhor e cativasse.
    Também não gostei da música da Letónia. Pensei que passaria ela em vez da Eslovénia. Ainda bem que não aconteceu porque gosto mais da música da Eslovénia.
    Vamos ver o que nos reserva o próximo ano :).

    ResponderEliminar