domingo, 25 de setembro de 2016

Opinião :: Gabriela, Cravo e Canela | Jorge Amado

Título: Gabriela, Cravo e Canela
Autor: Jorge Amado
Editora: Planeta de Agostini
Ano: 2002

Sinopse:
Essa história de amor - por curiosa coincidência, como diria dona Arminda - começou no mesmo dia claro, de sol primaveril, em que o fazendeiro Jesuíno Mendonça matou, a tiros de revólver, dona Sinhazinha Guedes Mendonça, sua esposa, expoente da sociedade local, morena mais para gorda, muito dada às festas de igreja, e o dr. Osmundo Pimentel, cirurgião-dentista chegado a Ilhéus há poucos meses, moço elegante, tirado a poeta. Pois, naquela manhã, antes da tragédia abalar a cidade, finalmente a velha Filomena cumprira sua antiga ameaça, abandonara a cozinha do árabe Nacib e partira, pelo trem das oito, para Água Preta, onde prosperava seu filho.

Opinião:
Creio que toda a gente já ouviu falar em Gabriela, Cravo e Canela, quer tenha sido pela novela transmitida na televisão ou simplesmente por ser uma das mais aclamadas obras de Jorge Amado. Como nunca vi a novela (que já teve uma adaptação há poucos anos, pelo 100.º aniversário do nascimento do escritor), decidi conhecer a história lendo o livro.
A acção desenrola-se em Ilhéus, uma terra no interior da Bahia, em 1925, altura em que imperava a produção de cacau, via-se um crescimento na cidade e se notavam, mais lentamente, mudanças nos costumes da sociedade, pois ainda se pensava de forma retrógrada e se fazia justiça pelas próprias mãos.
Nesta terra vive Nacib, brasileiro nascido na Síria, onde é dono de um bar e, com a necessidade urgente de arranjar uma cozinheira, desloca-se ao mercado dos escravos e encontra Gabriela, uma mulher simples, humilde, sorridente e trabalhadora. O amor surge cedo entre eles, mas devido às suas diferentes origens, a sua história passará por algumas dificuldades.
Além do romance entre estas personagens, encontramos fazendeiros, jagunços, mulheres de elite e mulheres da vida que dão vida ao livro com amores e ódios, traições e vinganças, casos políticos e até momentos de cultura, tendo sempre em vista o progresso. Neste aspecto dou destaque a Malvina, uma jovem que decidiu partir sozinha para outra cidade e refazer a sua vida, sem se limitar às exigências de um homem.
O livro superou as minhas expectativas. Como já li algumas obras de Jorge Amado, já me habituei à sua escrita e até passei a gostar mais. Acho que o que me de fez demorar a ler o livro todo ainda foi o português do Brasil e a sua gíria, mas perante esta história de tempos idos tão cativante, não me importei do tempo que levei a ler, pois foi muito bem gasto!

quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Já é Outono!

Como o tempo voa! Ainda há pouco andávamos todos desejosos pelo início do Verão e ele já decidiu ir-se embora! Bem, os dias até podem estar mais curtos e frescos e nós já sentirmos saudades de tudo o que o Verão nos dá de bom, mas o Outono também tem a sua magia: as árvores pintadas de várias cores, o conforto das roupas mais quentes e até o inevitável pensamento de que o Natal está cada vez mais próximo!
Há que aproveitar cada estação e cada momento... Pois o tempo realmente voa!

Happy Autumn everyone!

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Desporto :: Jogos Paralímpicos Rio de Janeiro 2016

Terminaram ontem os Jogos Paralímpicos (JP). Estes onze dias de provas passaram a correr, principalmente devido ao facto de quase terem passado despercebidos. Quero com isto dizer que não gostei da opção tomada pela RTP ao não transmitir em directo os JP, nem mesmo as provas dos atletas portugueses, como fez com os Jogos Olímpicos (JO), apenas passando os resumos diários dos mesmos.
Tirando esse pormenor, estes Jogos foram memoráveis. O Brasil recebeu calorosamente todas as delegações desportivas e foi um fantástico anfitrião. Por sua vez, os atletas foram ambiciosos e fizeram muitos bons resultados, batendo até inúmeros recordes paralímpicos e mundiais. Também os nossos atletas mostraram toda a garra lusitana e orgulharam-nos com quatro medalhas de bronze, ultrapassando assim o número de medalhas ganhas em 2012, em Londres, e nos últimos JO.
Apenas há a lamentar a morte de um atleta iraniano, durante a prova de ciclismo de estrada, no último dia de Jogos.
Como referi acima, os Jogos passaram a correr. Agora resta-nos esperar mais quatro aninhos para os próximos! ;)

Once again, see you in Tokyo!

sábado, 17 de setembro de 2016

Livro recebido :: "FATALE - Volume UM - A Morte Persegue-me"

Ora viva! Esta semana recebi "Fatale: A Morte Persegue-me", um livro de banda desenhada.
Quando era mais nova, era louca por banda desenhada! Andava sempre com várias revistas aos quadradinhos e lia e relia todas as histórias (da Disney, adorava aquilo!). Com o passar dos anos, fui perdendo esse hábito, se bem que nunca perdi o gosto.
Este livro é de um género que não costumo ler, mas estou curiosa e ansiosa por matar as saudades que tenho da banda desenhada!

Título: Fatale: A Morte Persegue-me
Autores: Ed Brubaker e Sean Phillips
Editora: G. Floy Portugal
Ano: 2014

Sinopse:
Terror e policial negro colidem em Fatale: A Morte Persegue-me, uma das mais aclamadas séries de banda desenhada actuais. Nos nossos dias, um homem conhece uma mulher misteriosa por quem fica imediatamente obcecado, mas nos anos 50, essa mesma mulher destrói as vidas de todos os que se cruzam com ela para conseguir o seu intuito. Qual o seu segredo? Que horrores se escondem no seu passado?

domingo, 11 de setembro de 2016

11 de Setembro – 15 anos depois dos atentados


Foi há quinze anos. Lembro-me perfeitamente deste dia, apesar dos meus meros seis anos. Estava na sala, entretida com os meus brinquedos, e, de repente, toda a atenção se centrou nas notícias em directo na televisão. Na altura não percebia bem o que estava a passar-se, mas recordo-me de todos os momentos dos atentados, tão bem como se fosse hoje: os aviões a colidirem contra as Torres Gémeas, as pessoas aterrorizadas a fugirem, outras pessoas a atirarem-se das torres antes de elas colapsarem, as ruas repletas de estilhaços e pó.
Desde essa data, o mundo mudou. O terrorismo tornou-se parte do nosso quotidiano e amedronta-nos. Posteriormente, inúmeros ataques aconteceram – e, infelizmente, continuam a acontecer –, deixando em todos nós tristes marcas e a certeza de que não estamos seguros em nenhuma parte do planeta.

Como seria bom se todos nós vivêssemos em paz...

(...)
Imagine there's no countries
It isn't hard to do
Nothing to kill or die for
And no religion, too
Imagine all the people
Living life in peace (...)

sábado, 10 de setembro de 2016

Empréstimo :: "Era Tudo Tão Bom"

Porque eu tenho amigos muito bons e que conhecem os meus gostos, esta semana um deles emprestou-me um livro para eu ler! Eu também aproveitei para lhe emprestar um dos meus que, neste caso, foi um dos últimos que li (vá, reli). Por coincidência, são livros da mesma editora!
Estou desejosa de o ler. Contudo, estou há quase duas semanas a ler um livro da colecção de Jorge Amado e ainda vou a meio. Tenho lido quase todos os dias, mas pouco de cada vez. Depois de o acabar, irei ler este, para poder devolvê-lo rapidamente.

Título: Era Tudo Tão Bom
Autora: Linda Grant
Editora: Civilização Editora
Ano: 2012

Sinopse:
Filho de imigrantes trabalhadores nos soalheiros arredores de Los Angeles, Stephen jamais imaginou que passaria a sua vida adulta sob o céu cinzento do Norte de Londres, que faria um casamento de conveniência e o manteria, e que veria os seus filhos crescerem e tornarem-se pessoas que ele não compreende. Ao longo de quarenta anos, Stephen e os seus amigos construíram vidas confortáveis e de sucesso, até que a chegada da meia-idade e do novo século os força a tomar consciência de que sempre viveram num falso paraíso.
Interligando os segredos e os desejos de três gerações,
Era Tudo Tão Bom é um romance magnífico que revela muitas verdades, da fragilidade dos nossos sonhos ao pouco que sabemos sobre os nossos pais até ser demasiado tarde.

quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Desporto :: Início dos Jogos Paralímpicos Rio de Janeiro 2016

Começam hoje os Jogos Paralímpicos no Rio de Janeiro. Está, neste momento, a decorrer a cerimónia de abertura e estou a ver o desfile dos atletas. É tão bom ver tantas nacionalidades juntas na Aldeia Paralímpica, tantos sorrisos e tanta vontade de vencer! Espero que estes Paralímpicos corram tão bem como os Olímpicos. Quanto à equipa portuguesa, os nossos atletas têm imenso valor e todos sabemos que dão o seu melhor, sempre. E se conseguirmos alguma medalha, tanto melhor, mas não é o mais importante. Ainda assim, estou optimista!
Que seja um excelente evento, repleto de respeito e desportivismo!

sábado, 3 de setembro de 2016

Livro recebido :: "Ouro Negro"

Já tenho um livro novo na minha estante! Trata-se de "Ouro Negro", do autor Sérgio Luís de Carvalho. Acho a capa linda: adoro o aspecto antigo das imagens, que remetem para o período retratado no livro, e do brasão de Portugal no centro. Este é um romance histórico que espero adorar!

Título: Ouro Negro
Autor: Sérgio Luís de Carvalho
Editora: Clube do Autor
Ano: 2016

Sinopse:
Século XVIII. D. João V tinha um sonho para Portugal. Pedro de Rates Henequim tinha uma visão para o Brasil. No dia em que o sonho régio e a extravagante visão herética se chocaram, o destino de duas nações e de dois homens mudou para sempre.
Uma história passada numa Lisboa deslumbrada pelo brilho do ouro e amesquinhada pela pobreza oculta. Perigosas manobras políticas, segredos de alcova, amores, desamores e traições insinuam-se por detrás das procissões, dos autos-de-fé e das festas cortesãs.
Entre a comédia e a tragédia, este romance baseado em factos reais transporta-nos para o cenário ostensivo e bizarro do Portugal setecentista.