terça-feira, 29 de março de 2016

Opinião :: O Coração de Murano | Marina Fiorato

Título: O Coração de Murano
Autora: Marina Fiorato
Editora: Porto Editora
Ano: 2011

Sinopse
Veneza, 1681
O fabrico de vidro e cristal representa um inestimável monopólio para a República e os espelhos venezianos são considerados mais valiosos do que o ouro. Sob a vigilância atenta do Conselho dos Dez, os sopradores de vidro de Murano vivem praticamente aprisionados na pequena ilha, onde os segredos do seu ofício são guardados a sete chaves. Mas o maior dos artífices, Corradino Manin, ver-se-á forçado a revelar os seus métodos e a vender a alma a Luís XIV, o Rei Sol, para proteger a sua filha ilegítima.
Quase quatro séculos depois, Leonora Manin deixa para trás um passado infeliz em Londres para iniciar uma nova vida como sopradora de vidro em Veneza. Será na cidade mágica dos canais que encontrará o amor e a possibilidade de refazer a sua vida. No entanto, à medida que os segredos da traição do seu antepassado vão sendo desvendados, Leonora verá o seu próprio destino interligado com o de Corradino.
Entre dois tempos, o período renascentista e a actualidade, O Coração de Murano é um romance inesquecível que decorre na mais bela cidade do mundo.

Opinião
Não conhecia a autora nem a sua obra, portanto foi uma estreia. Admito que, apesar de a capa ser bonita e chamativa, as primeiras páginas não me cativaram muito, mas à medida que fui associando as histórias, não conseguia parar de ler! Isto porque a autora conta-nos, alternadamente, as histórias de Corradino e Leonora Manin, dois parentes separados por quase quatro séculos mas com uma paixão em comum: o vidro.
Corradino foi um ilustre soprador de vidro de Murano e era o detentor da arte de o fabricar. Por sua vez, Leonora é uma mulher que procura uma nova vida mudando-se para Veneza, onde envereda pela arte do fabrico do vidro e decide desvendar os segredos do seu antepassado Corradino.
Como referi anteriormente, as histórias são contadas alternadamente de modo a interligar acontecimentos, o que torna as suas vidas bastante parecidas. A escrita é simples e proporciona uma leitura agradável. Existem vários pormenores históricos e a narrativa está repleta de descrições sobre a cidade de Veneza e a ilha de Murano, famosa pelo seu vidro.
Contudo, o fim mostrou-se um pouco previsível e foi o que mais me desiludiu na obra. Apesar disso, não deixa de ser um bom livro para os amantes de romances históricos.

segunda-feira, 21 de março de 2016

21 de Março - Dia Mundial da Poesia

Hoje celebra-se o Dia Mundial da Poesia e não podia deixar passar este dia sem partilhar um poema...

Poetas

Ai as almas dos poetas
Não as entende ninguém;
São almas de violetas
Que são poetas também.

Andam perdidas na vida,
Como as estrelas no ar;
Sentem o vento gemer
Ouvem as rosas chorar!

Só quem embala no peito
Dores amargas e secretas
É que em noites de luar
Pode entender os poetas.

E eu que arrasto amarguras
Que nunca arrastou ninguém
Tenho alma pra sentir
A dos poetas também!

   Florbela Espanca

domingo, 20 de março de 2016

Opinião :: Amo-te Teresa | Rita Ferreira

 
Título: Amo-te Teresa
Autora: Rita Ferreira
Editora: Círculo de Leitores
Ano: 2000

Sinopse
Amo-te Teresa é uma história de amor e de amores proibidos. Regressada à vila da sua infância, Teresa, uma médica desiludida com o amor, vai ao mesmo tempo revisitar o passado, descobrindo um doloroso episódio da sua vida familiar, e comprometer o futuro numa paixão sem limites. Há quase trinta anos, a mãe de Teresa foi o centro das atenções ao descobrir-se que mantinha uma relação amorosa fora do casamento. Pressionado por amigos e conhecidos, o pai de Teresa surpreende em flagrante os amantes e dispara contra o outro homem, expulsando a mulher de casa. A violenta censura que se abate sobre a mãe da Teresa obriga-a a procurar uma nova vida em Lisboa, para onde foi com a filha. Trinta anos mais tarde, esperava-se que o passado tivesse sido esquecido e que os tempos fossem outros. Mas serão?

Opinião
Este livro é uma novelização de um dos 12 telefilmes transmitidos pela SIC durante o ano 2000. Em casa tenho três livros dessa colecção e este foi o primeiro que li.
A imagem da capa é um fotograma do filme e mostra as personagens principais: Teresa e Miguel. No início da leitura, tive uma ideia diferente do que poderia ser a história, mas ao longo da leitura comecei a entender e o interesse aumentou. Teresa, médica de 35 anos, decide regressar à sua terra natal, Vila Nova do Carvalhal, e acaba por se apaixonar por Miguel, um miúdo de 15 anos, filho da sua melhor amiga de infância. Eles vivem um amor intenso mas, apesar de ser consentido por ambos, a diferença de idades prevalece e o tema da pedofilia torna-se presente. Também são retratados outros assuntos controversos, como o amor entre pessoas com grandes diferenças de idade, o envolvimento sexual entre um adulto e um menor e os preconceitos da sociedade perante os mesmos sob a visão do casal e também dos amigos, familiares e conhecidos que acabam por lhes descobrir o romance. Essa descoberta revolta toda a população da vila (e mais tarde do país) e traça o destino inevitável da médica e do jovem. As diferentes opiniões levam o leitor a reflectir e a criar as suas próprias convicções.
Ainda que seja uma história actual, é interessante observar alguns elementos que marcaram a época em que foi escrita, como por exemplo a moeda (o Escudo), certos programas televisivos e os cantores e músicas que estavam em voga.
A escrita fluída torna o livro fácil de ler e o desenrolar da história foi despertando cada vez mais o meu interesse, pelo que li o livro relativamente rápido.
Gostei do romance. Não vi o filme (tinha 4 anos aquando da estreia) mas fiquei com curiosidade em ver.

Adorado equinócio da Primavera

Chegou hoje a Primavera (mais propriamente às 04h30)! Para mim é a mais bonita estação de todas. Os dias ficam maiores, o calor começa a aparecer, as flores trazem-nos cores alegres, os pássaros voam e cantam doces melodias e é a estação do meu aniversário!
De manhã, o dia não tinha ares de ser primaveril, mas de tarde o sol quis aparecer e ficou uma tarde quente e bonita! Deu mesmo vontade de me sentar no jardim, ao sol, e ler um bom livro, mas houve aniversários na família e aproveitámos para passear.
Dizem que esta Primavera será um pouco instável, mas espero que haja alguns dias soalheiros que me permitam ler ao ar livre. É tão bom!
Bem-vinda, querida Primavera! :)

sexta-feira, 18 de março de 2016

Bem-vindos!

Ora viva!
Este blogue foi criado essencialmente para registar as minhas experiências literárias. Adoro livros, adoro ler bons livros e gosto de recordar histórias. No entanto, a leitura não é a minha única paixão, por isso irei também partilhar opiniões sobre outros temas do meu agrado. Irei partilhar momentos!
Sejam bem-vindos! :)